Angellus Domini Awards

ANGELLUS DOMINI’s AWARD | O Papa é Pop: O cinema e os papas

O papa é pop? Pelo menos no cinema, são diversas obras que apresentam pontífices, reais ou fictícios, que buscam tentar entender e desmistificar essa figura.

Quais as mais complexas, diferentes ou divertidas representações de papas no cinema? Esta lista apresenta algumas destas obras.

HABBEMUS PAPA (2011)

Michel Picolli

Um papa em conflito de identidade, um conselho de cardeais perdidos e um psiquiatra ateu (vivido pelo diretor Nanni Moretti) tendo que resolver tudo. Tudo embalado em uma deliciosa comédia italiana, que analisa como poucos a pressão do cargo de chefe da Igreja . O veterano ator Michel Picolli convence como o cardeal em fuga e com medo, e sua comparação do cargo de papa com o de ator é profundo e comovente. Uma obra pequena e singela, que vai provocar reflexão, mas também boas risadas. O filme ainda previu a possibilidade de renuncia de um papa na era moderna, o que ocorreu dois anos depois.

IRMÃO SOL, IRMÃ LUA (Fratello sole, sorella luna – 1972)

Sir Alec Guinness

Antes de dar a vida ao grande mestre Jedi, Sir Alec Guiness viveu outro líder espiritual, dando vida ao Papa Inocêncio II no clássico de Franco Zefirelli. Sua participação foi pequena, mas marcante, emprestando sua imponência nobre ao líder católico que fez contraponto ao personagem mais conhecido do catolicismo.

ANJOS E DEMÔNIOS (Angels & Demons – 2009)

Ewan McGregor

Parece que os interpretes de Obi Wan acabam ficando especialistas em fazer papel de papas no cinema. Na adaptação da obra de Dan Brow, Mcgregor dá vida ao Carmelengo (o responsável pela Igreja na ausência do Papa) que integra uma intrincada rede de conspirações. 

EUROTRIP – PASSAPORTE PARA A CONFUSÃO (EuroTrip – 2004)

Scott Mechlowicz

Não é um “papa”, mas a cena é muito divertida ao misturar todo o complexo ritual de eleição e apresentação do papa com uma comédia adolescente escrachada. Ao ficarem perdidos dentro do Vaticano, os dois amigos acabam em meio a muitas confusões “matando e elegendo” um novo papa, diante de olhares incrédulos da multidão que se reuniu na praça de São Pedro, e da perplexidade do Papa verdadeiro. Um filme para muitas risadas.

AS SANDÁLIAS DO PESCADOR (The Shoes of the Fisherman – 1968)

Anthony Quinn

O livro de Morris West é considerado uma previsão do futuro, ao anunciar com anos antes a eleição de um papa de um país comunista. Anthony Quinn vive o papa Kiril Lakota, um russo prisioneiro politico que é eleito com a missão de intermediar a crise entre o Ocidente, a Russia e a China. A força da mensagem do livro se perde em partes com o fim da Guerra Fria, mas mesmo assim o filme serve como uma interessante obra pra se conhecer o período.
O filme ainda apresenta o ficitício Pio XIII, que morre no inicio, interpretado pelo ator John Gielgud… – que é o ator que mais viveu papas no cinema, interpretando ainda os reais Paulo IV (Elizabeth) e Pio XII em “O Escarlate e o Negro”.

PAPISA JOANA (Die Päpstin – 2009)

Johanna von Ingelheim

E se o papa fosse uma mulher? A lenda da papisa Joana é mostrada com tons de veracidade na obra alemã estrelada por Johanna von Ingelheim . Uma mulher à frente do seu tempo que se disfarça de homem para poder fazer parte do universo religioso e político de sua época. Segundo a lenda morre ao dar à luz durante uma procissão, e até hoje sua história gera controvérsias. Provocativo.

Sobre o autor

João Paulo Rocha

Professor de História e Grande apaixonado pela sétima arte e da maior premiação do cinema, o Óscar. Viciado em séries e Redador das colunas "Vale a Maratona" e "Papo de Cinema".

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta ...

%d blogueiros gostam disto: