Connect with us

Conheça um pouco mais...

VINGADORES: GUERRA INFINITA | Contagem Regressiva (Faltam 14 dias)

Publicado

em

Em 2010, a respeitada revista Times, enquadrou a Graphic Novel Watchmen, de Alan Moore e Dave Gibons, no rol dos 100 melhores romances publicados desde 1923.

Desse modo – e ainda com base no livro Quadrinhos e a Arte Sequencial (Martins Fontes), do mestre Will Eisner; e nas seminais obras, Desvendando os Quadrinhos e Reinventando os Quadrinhos (M.Books), de Scott McLoud – podemos, sem muito medo de errar, classificar as revistas em quadrinhos como uma espécie do gênero Literatura.

Nesse sentido, sabe-se que toda obra literária, quando adaptada para o cinema ou televisão, necessariamente precisa sofrer algumas alterações para que caiba no novo formato.

A adaptação de livros propriamente ditos para as telonas não é coisa nova. Segundo registros da história do cinema, o primeiro livro a ter uma cena retratada em película foi Trilby (Gerald du Maurier, 1894), no curta metragem de 22 segundos chamado Trilby e o Pequeno Bille, em 1896 (o segundo foi Cinderela, de 1899).

De lá para cá, a comunicação entre Literatura e Cinema só cresceu, com certo equilíbrio entre obras bem ou má-sucedidas (após nossa Contagem Regressiva, podemos fazer uma série de matérias sobre as obras literárias adaptadas para o cinema, o que acham? Comentem e deem sua sugestão!).

Já os quadrinhos penaram para conseguir boas adaptações cinematográficas: salvo exceções como os dois primeiros filmes do Superman, com Christopher Reeve (1978 / 1980 (desconsiderando os fracos Superman 3 e 4, de 1983 e 1987) e, em menor grau, os dois filmes do Batman por Tim Burton (1989 / 1992). Depois disso foram muitas tentativas fracassadas (veja alguns exemplos em “Contagem Regressiva” do dia 04 de abril, “Faltam 22 dias”).

Após 10 anos de inquestionável sucesso das adaptações dos super-heróis Marvel para o cinema, e estando prestes a estrear Vingadores: Guerra Infinita (que em termos de pré-venda de ingressos já vendeu mais ingressos antecipados do que todas as outras produções Marvel somadas!) é interessante ver as mudanças que os personagens tiveram que sofrer para terem sua versão live-action de forma bem-sucedida.

Ao longo de nossa “Contagem”, já tivemos a oportunidade de ver alguns exemplos (Gamora, Nebulosa, Drax, Warlock, Viúva Negra, Gavião Arqueiro, Guardiões da Galáxia etc).

Hoje vamos iniciar uma série de 4 matérias sobre alguns dos personagens principais da Marvel, tanto nos quadrinhos, como no cinema.

O primeiro é Thor.

Como esclarecido na “contagem regressiva” do dia 26 de março, “faltam 30 dias” e na do dia 04 de abril, “faltam 22 dias”, a caracterização, personalidade e nível de poder dos personagens em live-action dos Vingadores seguiu, primordialmente, o universo mais “realista” proposto por Mark Millar em Os Supremos. Mas, a história em si – Thanos atrás das Joias do Infinito para matar metade do universo – é literalmente inspirada em Desafio Infinito.

Na Desafio Infinito dos quadrinhos, Thor, que lá normalmente mantém o rosto liso, cabelos compridos, tinha adotado uma longa barba “hipster”, como nos filmes; estava usando um elmo, portando seu martelo mágico e tinha um alter-ego completamente diferente do clássico Dr. Donald Blake (conforme criado por Stan Lee), ou seja, Eric Masterson.

Nos filmes – assim como no universo ultimate – Thor não tem alter-ego. Além disso, na produção cinematográfica, o Deus do Trovão está cego do olho direito, cabelo cortado (o que ocorre numa cena hilária do último filme) e desprovido de seu Mjölnir, destruído por sua “irmã”, Hela, a deusa da morte (desculpem o Spoiler para quem ainda não assistiu Thor: Ragnarok!).

Interessante que, na literatura nórdica, Hela é filha de Loki, ou seja, sobrinha de Thor; quando Stan Lee a adaptou para os quadrinhos, não entrou em muitos detalhes sobre sua origem. Nos filmes, ela é filha de Odin e, portanto, irmã de Thor. Confuso, não?

A barba de Thor nos quadrinhos só surgiu por um tempo e em função de uma batalha no reino dos Celestiais, na qual o herói foi envelhecido algumas centenas de anos ao trespassar um portal cósmico enquanto enfrentava um inimigo. O adversário acabou se transformando em um esqueleto envelhecido, ao passo que Thor apenas ganhou uma barba espessa!

A mudança dos poderes do Thor depois de Thor: Ragnarok – no qual ele invoca trovões e relâmpagos diretamente com as mãos e está sem martelo – incomodou alguns fãs mais apegados ao material original, mas, por outro lado, abre uma perspectiva interessante para o personagem, conforme defendido pelo próprio Chris Hemsworth, que dá vida ao filho de Odin.

Amanhã, falaremos do Visão e sua complicada origem e desenvolvimento.

Sabiam que, no enfrentamento a Thanos, o personagem estava numa fase completamente “branca”? Curiosos para saber por que?

Então não deixe de viajar com a gente!!

Até breve!!!

Confira as outras matérias com curiosidades e a contagem regressiva para Vingadores: Guerra Infinita!


SIGA-NOS nas redes sociais:

FACEBOOK: facebook.com/nerdtripoficial
TWITTER: twitter.com/nerdtripoficial
INSTAGRAM: instagram.com/nerdtrip_
VISITE NOSSO SITE: www.nerdtrip.com.br


Leia outras notícias do Nerdtrip e confira também:

BLACK COVER | Confira a prévia e o título do episódio 28

HIGH SCHOOL DxD HERO | Confira a prévia e o título do episódio 2 da 4ª temporada

LEGENDS OF TOMORROW | Com tom despretensioso, altos e baixos não atrapalharam os rumos da carismática 3º temporada – Crítica do Viajante!

RAMPAGE: DESTRUIÇÃO TOTAL | Crítica em vídeo com Aline Giugni & Don Giovanni

VINGADORES: GUERRA INFINITA | Contagem Regressiva (Faltam 15 dias)


Studio Geek – Os Melhores Produtos da Cultura Pop, Geek e Nerd.

 

Conheça um pouco mais...

CHRIS HEMSWORTH | Ator mostra que não é apenas “Thor” no Saturday Night Live

Publicado

em

Não é de hoje que Chris Hemsworth chama nossa atenção por sua atuação como o filho de Odin. Apesar do ator ter conseguido o ápice de seu sucesso mundial dando vida a “Thor” nos filmes da Marvel, Chris pôde demonstrar suas diversas habilidades como ator em longas como o dramático “No Coração do Mar” e na comédia com o reboot de “Caça-Fantasmas“.

Erin (Kristen Wiig), Kevin (Chris Hemsworth) and Patty (Leslie Jones) in Columbia Pictures’ GHOSTBUSTERS.

A cativante atuação de Hemsworth fez com que seus fã clubes, oficiais e não-oficiais, se multiplicassem cada vez mais, e certamente grande parte de seus admiradores buscassem conhecer seus demais trabalhos e, mais do que isso, sua vida, história e família. E quando muitos esperavam uma vida badalada de um “sex symbol”, eis se deparam com um comportamento que seguidores descrevem como “fofo” de um pai de família que faz grande parte de seus vídeos em casa e que ama seu cachorro.

Imagens da internet

Os fanáticos pelos Vingadores, talvez não obtiveram a oportunidade de apreciar seu lado comediante antes de “Thor Ragnarok”. Por este motivo, gostaria de apresentar uma outra façanha de Chris: Apresentador no “Saturday Night Live”.

O SNL é um programa de comédia que está no ar há mais de 30 anos, no mesmo formato. O programa conta com convidados e apresenta musicais de artistas conhecidos ou em início de carreira. O programa teve o seu primeiro episódio exibido pela NBC em 11 de outubro de 1975, sob o título original de NBC’s Saturday Night.

O programa gira em torno de uma série de sketches parodiando a cultura e a política americana, realizada por um grande e variado elenco a cada semana. Cada episódio é apresentado por uma celebridade convidada que atua no monólogo de abertura e participa de croquis com o elenco, contando com um convidado musical.

SNL normalmente começa com um teaser que termina com um ator saindo do personagem e proclamando, “Live from New York, it’s Saturday Night!”, abrindo o programa na sequência.

Imagem de divulgação

Sendo fã declarado de Chris, visualizei uma grande diversidade de imagens e assisti a vários vídeos, para que você, caro leitor, possa apreciar o melhor de Hemsworth, nas fotos e sua participação no SNL mais engraçadas em vídeo. Aproveite:

SIGA-NOS nas redes sociais:

FACEBOOK: facebook.com/nerdtripoficial
TWITTER: twitter.com/nerdtripoficial
INSTAGRAM: instagram.com/nerdtrip_
VISITE NOSSO SITE: www.nerdtrip.com.br


Leia outras notícias do Nerdtrip e confira também:

DRAGON BALL SUPER: BROLY | Goku e companhia encaram vilão em nova prévia em vídeo!

TEEKCAST #47 | Demolidor – O que achamos da 3º temporada?

AQUAMAN | Confira os lindos pôsteres divulgados dos 7 personagens principais do filme

FIFA 19 | Modo Ultimate Team terá uniformes de equipes consagradas do eSport

A GAROTA NA TEIA DE ARANHA | Crítica da 5ª adaptação cinematográfica dos livros da série Millennium

TOKYO GHOUL: RE | Confira a prévia e o título do episódio 6 da 4ª temporada do anime

BREAKING BAD | Criador da série está escrevendo o roteiro de um longa ambientado no universo de Walter White

BLACK CLOVER | Confira o título e prévia do episódio 58 do anime

POKÉMON SUN & MOON | Confira título e prévia do episódio 96 do anime

TITANS | Fenomenal! O “Destino” os uniu! Episódio #04: Doom Patrol (Crítica)

FALLOUT 76 | “Rick and Morty” enfrentarão jogadores reais em primeiro livestream animado já feito

Continue lendo

Conheça um pouco mais...

PERDIDOS NA NOITE | Programa tosco dos anos 80 que teve importância fundamental para o rock nacional

Publicado

em

Fausto Silva, também conhecido como Faustão, todo mundo conhece. É aquele chato de galochas que aparece na TV aberta todos os domingos apresentando um programa de auditório insuportável. É conhecido por não permitir que seus convidados sequer terminem um raciocínio, interrompendo-os o tempo todo. Mas acreditem, Faustão pode ser considerado um dos grandes heróis do rock nacional.

Após chamar a atenção como repórter esportivo, Fausto Silva teve sua primeira oportunidade como apresentador de TV em 1984 (nos estertores da ditadura) mas foi só em 1986 (já na abertura política) que seu programa Perdidos na Noite, que era gravado no antigo Teatro Záccaro, passou a ser exibido em rede nacional nas noites de sábado pela TV Bandeirantes.

Nesse período pós-ditadura o rock nacional vinha florescendo de forma exuberante, principalmente após o primeiro Rock In Rio em 1985 mas apenas as bandas mais famosas e de certa forma mais comprometidas com uma certa auto-censura tinham espaço na mídia televisiva e nas principais emissoras como a Globo. Grandes bandas como TitãsParalamas do Sucesso, ou Barão Vermelho até participavam de programas como o Cassino do Chacrinha ou Globo de Ouro, desde que com as canções certas, ou seja, sem críticas políticas, palavrões ou posições mais agressivas. Punk Rock nem pensar.

E foi nesse ambiente que o Perdidos na Noite se destacou. A produção era tosca, o cenário anárquico, com cabos correndo caoticamente pelo palco, holofotes á mostra, contra-regras e outros  funcionários aparecendo o tempo todo na tela. Era comum ver os membros das bandas convidadas montando o próprio equipamento em palco ao mesmo tempo em que eram entrevistadas pelo Faustão. O apresentador não se furtava a soltar palavrões considerados mais leves como “porra” e “merda”, para desespero da produção. Também era ríspido muitas vezes com a platéia, que no mesmo clima descontraído mostrava cartazes para as câmeras, muitas vezes fazendo críticas a políticos ou celebridades. 

Mas o mais importante é que Faustão dava espaço para toda e qualquer banda de rock para que tocassem o que bem entendessem. Ratos do PorãoGarotos PodresInocentes, entre outras tiveram a oportunidade de mostrar seus trabalhos no Perdidos. As bandas tradicionais, democraticamente, também tiveram seu espaço de divulgação, podendo tocar qualquer coisa. É emblemática a apresentação da música Bichos Escrotos dos Titãs. A banda canta:

 

“Oncinha pintada
Zebrinha listrada

Coelhinho peludo
Vão se fuder!”

 

A produção tenta inutilmente colocar um “bip” para ocultar o palavrão, porém o coro da platéia sobrepõe-se ao artifício e os telespectadores em casa entendem exatamente o que os artistas cantam. A platéia por sinal é uma atração à parte. Esqueça os espectadores comportados sentados em suas cadeiras como acontece no programa atual de Fausto Silva.  Além dos bem humorados e politicamente incorretos cartazes já citados, a platéia canta e dança inclusive performances de punk rock que por muitos são consideradas desnecessariamente violentas. Tudo isso sem censura ou intromissão de seguranças. Pessoalmente não duvido de que “baseados” fossem fumados entre as colunas do teatro ao fundo da platéia. 

Diante de tudo isso, meu amigo leitor deve estar imaginando que a censura, a repressão, os políticos ou coisa que o valha tenha acabado com o programa. Não foi bem assim. Com a queda da ditadura muito recente, vivia-se um clima de liberdade total nos meios de comunicação no final dos anos 80. Foi nessa esteira que surgiram mídias totalmente politicamente incorretas como as publicações da Editora Circo, ou o próprio Perdidos na Noite. A própria chegada da MTV ao Brasil, emissora conhecida por ser totalmente despojada e irreverente ocorreu nesse ambiente.

Até ocorreram tentativas de conservadores nesse sentido, o prefeito de SP na época, Jânio Quadros, chegou a processar o Perdidos por se sentir ofendido por piadas de seu apresentador. Mas o que realmente acabou com o Perdidos na Noite foi a força das grandes corporações. Faustão chamou tanta atenção que em dezembro de 1988 a Rede Globo acabou com a festa contratando-o e colocando-o para apresentar aquele programa de domingo. O apresentador até tentou manter sua irreverência no começo, mas acabou dobrado pelas imposições da emissora que o transformaram naquele “pentelho” (palavras do próprio Faustão) que hoje conhecemos.

O Perdidos na Noite foi transmitido por quase 3 anos e nesse período contribuiu de forma contundente para a divulgação do rock nacional em todas as suas formas sem preconceito ou frescura. O programa acabou, mas inventaram o Youtube. Lá você encontra vídeos de dezenas de bandas em início de carreira e que tentavam conseguir seu lugar ao sol no cenário musical brasileiro. Muitas conseguiram, outras tantas não, mas está tudo registrado lá. Tudo está cru, exibindo as sequelas do tempo no material. As imagens nunca são boas, o áudio tampouco e as falhas e distorções constantes. Mas é o registro de uma época e vale muito a pena ser conferido. Abaixo confira João Gordo e os Ratos do Porão marcando sua presença no programa:

 

SIGA-NOS nas redes sociais:

FACEBOOK: facebook.com/nerdtripoficial
TWITTER: twitter.com/nerdtripoficial
INSTAGRAM: instagram.com/nerdtrip_
VISITE NOSSO SITE: www.nerdtrip.com.br


Leia outras notícias do Nerdtrip e confira também:

DEMOLIDOR | Série chega ao seu ápice de qualidade na nova temporada – Crítica

BORUTO: NARUTO NEXT GENERATIONS | Revelados título, sinopse prévia e spoilers do episódio 79

GOBLIN SLAYER | Confira mais sobre o anime Seinen da temporada de outono

NIGHTWING | Diretor mantém esperanças por filme do Asa Noturna: Nightwing Vive, Sempre!

ANIMAIS FANTÁSTICOS 2 | Confira trailer que destaca o bruxo das trevas Grindelwald

 

Continue lendo

Conheça um pouco mais...

MATERATE | Dúvida no que assistir? App facilita a busca no Netflix e nos principais serviços de streaming!

Publicado

em

Foto – Reprodução

Nos últimos quatro anos um grupo formado por criativos, designers e programadores espalhados entre Rio de Janeiro e São Paulo se dedicou a mapear as principais dificuldades e desejos de quem assiste a filmes e séries. A ideia era criar um produto definitivo, que reunisse a vida audiovisual do usuário em um único lugar.

O MateRate nasce como a plataforma que traz para o universo dos filmes e séries a mesma inovação que o Whatsapp trouxe para a comunicação, o Airbnb para a hospedagem e o Spotify para músicas. Uma ideia com DNA brasileiro, com potencial de se tornar um app de alcance mundial.

O novo serviço está disponível em versão beta para download na App Store e no Google Play .

Como funciona

Ao se cadastrar, o visitante é convidado a avaliar pelo menos dez filmes. A partir desse momento, o sistema prevê como o usuário avaliaria cada filme ainda não assistido. Todos os filmes recebem então um selo na escala MateRate, que ao invés das tradicionais cinco estrelas, traz reações como “boo”, “grr”, “hmm”, “yeah” e “wow” (a nota máxima!).

Usuário pode classificar filmes e séries com reações

Em seguida, o usuário pode fazer um filtro pelos principais serviços de assinatura, aluguel ou compra (Netflix, Now, HBO, Prime Video, iTunes, Google Play, Telecine Play, Looke, etc).

Foto – Reprodução

Todos os títulos disponíveis nos catálogos selecionados são ordenados de acordo com o gosto do usuário, possibilitando que se encontre o filme perfeito para o momento em tempo recorde. O MateRate indica onde o conteúdo está, além de exibir o valor, facilitando a comparação de preços. Ao escolher um título para assistir, basta dar o play para abrir o conteúdo na plataforma selecionada.

Para os filmes em cartaz em circuito comercial, o Mate indica as salas de exibição mais próximas, direcionando para a página de escolha de assentos e compra de ingressos, com um único clique.

Promovendo conexões

Se o usuário estiver acompanhado, pode selecionar com quem vai assistir: namoradx, família ou amigxs. O algoritmo mixa os perfis e gera um “match” de recomendações, acabando com as intermináveis discussões sobre o que assistir. Também é possível saber a avaliação dos amigos, uma forma simpática de aproximar e promover encontros fora do ambiente virtual.

Navegação

É possível buscar pelo nome da produção, e também por diretores e elenco, caso o usuário queira se aprofundar nas biografias de seus ídolos. A busca permite o uso de filtros detalhadíssimos (como por exemplo: quero ver uma comédia francesa da década passada), e traz as principais informações sobre cada conteúdo (trailer, sinopse, equipe, elenco, etc). Oferece também as avaliações do IMDB, Meta Score (média da crítica internacional), e da imprensa especializada.

Com uma navegação agradável e divertida, o app gerencia seu consumo de séries, sabendo quanto falta assistir em cada uma, quando o próximo episódio vai ao ar, em qual temporada e episódio estão os amigos. Ao criar um alerta o usuário é avisado pelo sistema assim que uma nova temporada é lançada.

Usuário pode fazer um filtro pelos principais serviços de assinatura, aluguel ou compra

Avaliação

A ideia é que o usuário avalie cada filme ou série assistidos: quanto mais se avalia, mais precisas ficam as previsões do Mate. Também é possível comentar, criticar, compartilhar, ver os comentários e críticas de outros usuários. Aos poucos a plataforma vai se transformando em uma biblioteca digital com todo o histórico de conteúdos já assistidos.

A “watchlist”, outra ferramenta do MateRate, permite ao usuário fazer uma lista de tudo o que ainda quer assistir. O filtro por preço é outra ótima dica para quem está em busca de filmes com valores promocionais, tanto nas plataformas de streaming quanto nos cinemas.

MateRate oferece filtros que facilitam a busca por preço

O nome do app é uma referência ao Mate, personagem que guia o usuário pela plataforma, e ao termo inglês “rate”, de classificação.

A plataforma possui atualização diária em seu banco de dados, permitindo o acesso ao perfil de filmes e séries no momento de seu lançamento global e o melhor de tudo, o app é gratuito e está disponível para download na App Store e  Google Play

Continue lendo
Advertisement

Receba as novidades do Nerdtrip em seu e-mail!

Insira seu endereço de e-mail para embarcar nessa Viagem Nerd!

Advertisement

Mais lidos da semana


%d blogueiros gostam disto: