Críticas

NETFLIX | 13 Reasons Why: os 2 lados da fita! (Crítica do Viajante!)

Não quero trabalhar com uma lista de prós e contras, pois o tema tratado pela série é muitíssimo sensível.
Querendo concordar ou não, a mídia traz muitas influências e rege muitas tendências. E 13 Reasons Why é tema de muitas conversas e debates e trouxe a curto prazo um resultado benéfico, já que a procura pela associação brasileira de prevenção de suicídio CVV (Centro de Valorização a Vida) aumentou 445% e a procura pelo site aumentou 170%.

A série apenas em si tem alguns problemas, ela é arrastada e tirando apenas o fato de querer usar cada capítulo como um lado da fita, não se justifica seus 13 episódios. Ela começa com um bom primeiro capítulo que segue em declínio até o nono episódio. Nesse meio tempo, ela se torna arrastada e desgasta a relação do espectador com o personagem Clay (Dylan Minnette).

Aliás, algo que merece elogio é o bom elenco jovem, principalmente a atriz Katherine Longford, que interpreta Hannah. Ela que consegue nos cativar, apesar de muitos momentos a personagem parecer exagerar na proporção de alguns acontecimentos, mas isso se deve ao roteiro esticado e não a atuação da Jovem.

É uma série pesada, tensa e não aconselhada a um público muito jovem, porém enxergo nela uma excelente oportunidade de ser uma válvula de escape para que o assunto seja conversado em salas de aula e, principalmente, no seio da família.

Alguns acusam a série de perigosa, de causar uma certa apologia ao suicídio, e, realmente, é um risco que se corre, entretanto não é a intenção que a obra tem.
E isso exige um cuidado, para que a série não se torne um gatilho para alguém que já está passando por um momento de depressão, mas que se torne um farol para que se possa diagnosticar uma pessoa que precisa de ajuda e atenção. E os resultados são plausíveis até aqui, como já foi citado, e acredito que muitos ainda serão beneficiados por ela.

Gostaria que não houvesse continuação. Contudo, ao que tudo parece, pelos vários ganchos deixados, certamente terá; mas que a Netflix tenha aprendido com os poucos erros da série que pecou apenas na questão quantidade de episódios e duração deles.

Pensando bem, que todos venhamos aprender com essa série, pois a linha de vítima e agressor é muito tênue, e devemos sempre observar as consequências das nossas ações.

Então…
#naosejaumporque

Obrigado Netflix.

Sobre o autor

Jr Costa

Paulistano, amo música, filmes, séries, e estou ressuscitando o amor por animes.
Aprecio os filmes bons e me divirto debochando dos ruins (o que gerou o injusto apelido de Mestre Hater).
Tento ter como característica, textos curtos e objetivos valorizando a informação.

Escritor das colunas
HATEANDO! (quartas-feiras)
Demorei, mas eu vi! (Sextas-feiras)
Escondido na Netflix (Domingos)

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta ...

%d blogueiros gostam disto: