Críticas

SUPERGIRL | 2º Temporada – Crítica do Viajante!

Após uma boa primeira temporada em um canal que não dá chances às séries de TV com heróis, o futuro da Supergirl como uma produção televisiva era incerto. Entretanto, tivemos uma esperança, o canal CW que adapta os heróis Flash e Arqueiro Verde resolveu dar continuidade ao show e ainda de quebra fez um grande crossover entre esses poderosos heróis.

Superman e Supergirl

Qualidades à parte dessa união, a nova temporada estrelada por Melissa Benoist resolveu adaptar temas modernos e progressistas, claro que as cenas de ação não ficaram de lado, a introdução do primo da heroína, o escoteiro azul mais famoso das HQ’s como um coadjuvante gerou dúvidas, que logo foram bem aceitas por uma ótima atuação de Tyler Hoechlin no início e no final desta segunda temporada.

Mellissa Benoist (Supergirl) e Lynda Carter (a primeira Mulher-Maravilha atuando na série como presidente dos EUA)
Mellissa Benoist (Supergirl) e Lynda Carter (a primeira Mulher-Maravilha)

A série também trabalhou bem o lado pessoal dos principais personagens da série, por mais que tenha sido o lado mais difícil de engolir pela lentidão em que se foi trabalhado (isso infelizmente é culpa da temporada que contou com 22 episódios, muito grande!), tivemos uma grande evolução dos ideais envolvendo Kara Danvers (o lado esperançoso e de escoteiro azul do seu primo ficou evidente na personagem), Alex Danvers (que evoluiu com um lindo romance com uma policial local chamada Maggie), Mon-El (que surpreendeu pela boa evolução), James Olsen (que se tornou um herói), J’onn J’onzz (que encontrou seu amor?!) e Lena Luthor (que gerou dúvidas no começo e foi bem trabalhada).

 o cast de Supergirl na SDCC (Comic-Con), destaque no centro para o ator Tyler Hoechlin que é atuou como o Superman na série
O elenco principal de Supergirl na SDCC (Comic-Con)

Mesmo assim, essa temporada produzida pelo canal CW não viveu só de coisas boas, pois algumas coisas foram desenvolvidas e apresentadas com muitos equívocos, o maior exemplo foi a tentativa frustrada de balancear romance e ação, episódios focados em coadjuvantes foram raros, uma maior participação do Homem de Aço, a resolução de problemas óbvios e a presença de temas do cotidiano, que poderiam ter sido melhor trabalhados, não tiveram um grande capricho dos produtores.

Supergirl (Melissa Benoist) e Mon-El (Chris Wood)

Esses problemas não deram um déficit ao final da temporada e para o gancho surpresa da terceira temporada, que já está confirmada. No entanto, esses probleminhas acabaram incomodando bastante para acompanhar a longa segunda temporada da série que foi finalizada perfeitamente. E como esperar por essa nova temporada com os acontecimentos incríveis que envolveram o círculo de personagens principais da série, pois mesmo com alguns erros, os episódios finais conseguiram arrumar as pontas soltas e terminou com uma ação frenética que raramente você iria acompanhar em uma série com essa temática.

Calista Flockhart como a querida Cat Grant
Calista Flockhart como Cat Grant

Ainda tivemos a participação da atriz Calista Flockhart que, como sempre, atua super bem e a sua personagem é envolvente ao agregar uma boa qualidade no roteiro dos episódios, espero que a personagem volte a ter mais participações na terceira temporada, e ficamos no aguardo de que Kara Danvers e a sua trupe retornem logo com boas aventuras!

NOTA PARA A TEMPORADA: 3,5 / 5

Sobre o autor

Igor Souza

Editor-Chefe do Nerdtrip e Professor de Biologia e Educação Física Escolar.
Amante de Animações, Seriados, Games, Ficção, Mundo Mágico, HQs e lunático pela 7º Arte.
Entendedor de Oscar e outras premiações frescurites que ninguém liga e repara nos filmes (aqueles detalhes bobos).
Ama a 'Trindade' que é conhecida nos 7 cantos do mundo e nas horas vagas escuta aquela música eletrônica para ficar na vibe ou curte também aquele bom e velho rock'n'roll.

1 Comentário

Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta ...

  • Muito boa crítica. Nunca concordei tanto com uma crítica hahaha acho que esta temporada foi boa mais com alguns erros, como dito acima esta tentativa de balancear romance e ação realmente não deu certo, o único romance bom pra mim foi entre a Alex e Maggie, já os outros demoraram para convencer, Kara e James não tinham a menor química, Kara e Mon-el demoraram para se acertar no início era irritante, e Winn e Lyra foi meia boca pra mim. Também senti muita falta da personagem Kara em si, não ela como Supergirl, mas como repórter. Quando ela foi promovida pela Cat ao final da primeira temporada eu estava muito entusiasmado sobre o que viria na segunda, como Kara iria enfrentar esta nova vida de repórter. As dificuldades que ela teria, e como ela iria se resolver, afinal queria ver ela “se virar nos trinta”, improvisar no trabalho, como ela fazia na primeira temporada com a Cat. O Snapper Car é um excelente personagem poderiam usar mais ele, mas parece que foi caindo no esquecimento ao longo da temporada. De resto a temporada foi boa, com bons vilões, melhores do que os da temporada anterior penso eu. Esperando pela terceira temporada, tomara que eles consertem os erros cometidos nesta, pra mim faltou pouco para esta série sair do “bom” para o “ótimo”.

%d blogueiros gostam disto: