Connect with us

Conheça um pouco mais...

VALERIAN | As HQs que inspiraram o filme – Conheça um pouco mais…

Publicado

em

Em agosto estreia “Valerian, e a Cidade dos Mil Planetas”, filme de produção francesa dirigido pelo também francês Luc Besson, o mesmo do excelente “O Quinto Elemento” de 1997. Confesso que quando assisti ao trailer, fiquei de queixo caído diante da profusão de belíssimas imagens espaciais, de civilizações futuristas  avançadas e alienígenas extremamente realistas. E, ao saber que o longa foi baseado em uma série de HQs dos anos 70 que inspiraram inclusive George Lucas para seu “Star Wars” de 1977, corri atrás ávido para lê-las.

“Valérian – Agente Espaço-Temporal” foi criado pela dupla formada pelos franceses “Pierre Christin” que escrevia as histórias e  “Jean-Claude Mézières” que desenhava. Foi publicada primeiramente em 1967 na revista “Pilote” e a partir de 1970 ganhou publicação própria pela editora franco-belga “Dargaud”. No Brasil foi publicada apenas em tirinhas no jornal “O Globo” na década de 80, ganhando álbuns próprios somente agora justamente por causa do filme vindouro. Por esse motivo, tive dificuldades em encontrar, tendo que me contentar com a versão portuguesa da publicação.

Tive acesso a seis álbuns de 50 páginas cada, com histórias distintas, porém com a mesma temática futurista. Os protagonistas das histórias são Valérian e Laureline, dois agentes “espaço-temporais”, que como o próprio cargo já diz, viajam através do espaço e do tempo. Ambos trabalham para o governo de “Galaxity”, a capital do “Império Galáctico da Terra”. Num futuro distante, nosso planeta se unificou e se expandiu pela galáxia se tornando um dos grandes impérios do universo.

Não sem antes ter passado por um apocalipse ecológico no ano de 1986, após uma explosão tão violenta que derreteu os pólos da Terra levando a sociedade humana a retroceder a um estado de barbárie que perdurou até o século XXIV quando se reestruturou e voltou a progredir. Lembrando que tais histórias foram escritas em uma época onde ainda não se falava em aquecimento global e a palavra “ecologia” era uma grande desconhecida da população em geral.

O herói da história, Valérian, é um rapaz entre 20 e 30 anos, forte, corajoso, audaz e fiel que aceita ordens superiores sem questioná-las, mesmo quando sente que estão totalmente erradas. É um patriota abobado em um universo onde não existem mais pátrias. Porém sua lealdade ao império é tão grande que me lembrou as histórias do Superman da DC Comics, apelidado de “Escoteirão Azul” pelo Batman justamente por essa obediência cega ao sistema vigente. Valérian também é extremamente machista em relação a sua companheira Laureline.

Sensualidade de Laureline é explorada, porém sem nu frontal.

Laureline por sua vez, é oposto de Valérian. Rebelde e questionadora, costuma seguir sempre sua própria bússola moral e consciência ao tomar suas decisões. Desacata ordens superiores e bate sempre de frente com Valérian, num papel ousado para uma mulher na época. Pelo menos nas edições que li, não há uma menção clara a um matrimônio formal entre os dois protagonistas, mas eles efetivamente são um casal. Não há cenas de sexo propriamente ditas, mas a sensualidade de Laureline é explorada de uma forma aberta, sendo que é comum a personagem aparecer em trajes sumários nas civilizações por onde passam, e eventualmente até nua de costas ou de lado, sem que o nu frontal seja utilizado. Laureline é uma bonita moça com ares de adolescente, porém fica claro que é uma adulta no enredo. A escolha de “Cara Delevigne” para interpretá-la nas telonas me parece bastante acertada. Pelo menos na caracterização física da personagem. Só faltou pintar o cabelo de ruivo.

Os enredos são até legais, porém inocentes e rasos como as outras publicações da época. Sabemos que a dupla de heróis vai vencer e não há margem para acreditarmos que os vilões tenham qualquer chance ao final da história. A ambientação se passa não só no futuro, mas em outros planetas e civilizações, com raças interessantes e bizarras. Os desenhos são firmes e limpos, dando ênfase tanto aos personagens quanto aos cenários e naves, veículos e maquinários futuristas.

Concluindo, “Valérian e Laureline”, como vem sido tituladas as reedições na Europa, é uma leitura interessante, contudo podem se tornar tediosas em determinados momentos, principalmente para os leitores atuais que primam mais pelos desenhos e pelas cenas de ação do que pelos diálogos e pela trama. Em muitos momentos, Valérian nos traz balões de falas grandes, narrativa arrastada enquanto quadros de paisagens, tanto de planetas quanto do espaço sideral com naves e plataformas espaciais são mostradas. Mas é uma obra de extrema importância e cuja leitura é válida pelo valor que tem  por ter inspirado grande parte da ficção científica posterior, inclusive o já citado pai da franquia Star Wars.

Abaixo, assista o trailer do filme que estreia no Brasil em agosto:

Jorge Obelix. Ancião do grupo, com milhares de anos de idade. Fã da DC Comics e maior conhecedor de Crise nas Infinitas Terras e Era de Prata do Universo. Grande fã de Nicholas Cage que acha que um filme sem ele nem pode ser considerado filme. Fã de Jeff Goldblum também, e seu maior sonho é ver ambos (Cage e Goldblum) contracenando.

Comente aqui!

Receba as novidades do Nerdtrip em seu e-mail!

Insira seu endereço de e-mail para embarcar nessa Viagem Nerd!

Mais lidos da semana


%d blogueiros gostam disto: