Connect with us

Demorei, mas eu vi!

DEMOREI, MAS EU VI! | The King of Fighters: Destiny – Um anime a altura da lenda

Publicado

em

Existem três grandes jogos de luta na história dos games. Um começou nos anos 80 e foi herdeiro dos beat-em-ups (briga de rua) dos arcades, mas que trazia o conceito de luta 1×1 com história. Esse jogo se chama Street Fighter. Nos anos 90 um engenheiro de games americano chamado Ed Boon achou que os jogos eram muito carola, faltava sangue e tripas voando na tela, nasceu o Mortal Kombat. Mas o grande jogo de 2d fighting seria mesmo criado pelos japas em 1994, pelas mãos da competente SNK. The King of Fighters 94′ (Arcades/Neo Geo e CD, SNK) foi um divisor de águas na história dos jogos. O estilo único de lutas de três jogadores, aliados a uma grande parcela de habilidade (o que separa os jogadores de The King dos outros normais) aliado a uma grande história, fez do arcade uma verdadeira lenda.

Apesar do gráfico limpo, lutas memoráveis

Mas o que diferenciava KOF dos outros era o fato de quase não ter tido sua saga contada em outras mídias, a não ser em um mangá publicado na Young King Ours (uma das maiores publicações de mangá da terra do sol nascente) e o anime feito para o KOF Maximum Impact do PS2, Another Day. Isso fora as aberturas feitas pela mesma equipe do anime Fatal Fury para Dreamcast. A série estava devendo um anime digno da imponência da série. Pois bem esse ano (e pode crer que foi uma das melhores coisas que aconteceram) tivemos o anúncio de uma série em 25 episódios (21 já prontos) englobando todas as fases de KOF até a fase Orochi.

Revelações do passado que não estão em nenhum outro jogo da franquia

The King of Fighters: Destiny (SNK/IDragons Studio, 2017, grátis no Steam em inglês) tem a mesma equipe gráfica do jogo The King of Fighters XIV, lançado ano passado para PS4  e agora no PC, o jogo foi muito criticado, pois o estilo anime/mangá foi substituído por um 2d/3d com feições mais ao estilo de Tekken, porém com muito menos fluidez gráfica. Mas a turma do estúdio chinês IDragons acertou no anime, que conta com sucesso as origens do torneio de artes marciais mais famoso do mundo.

Humor mas com muita ação

Focado nas primeiras interações antes do torneio, pós Fatal Fury e dentro do KOF 94 a 96, KOF Destiny surpreende. Apesar dos episódios serem curtos (devido a enorme equipe que fez o anime e seus anunciantes), vemos tudo que cerca o cenário das lutas da SNK, contado com folgas, alívios cômicos a “la Marvel” e muita, muita porrada. Todos os personagens do vasto universo são utilizados com suas cotas de participação na trama principal.

Um anime digno para o game afinal

The King of Fighters: Destiny é uma justa homenagem ao maior jogo de luta 2d do mundo que mesmo depois de 15 anos continua mantendo sossegado a majestade nos arcades do mundo inteiro. E pode ser visto como eu disse, 0800 para galera da Steam.

O lobo da noite. O nerd caçador. Sou criador de páginas, nativo da internet desde a chegada no nosso país, músico, escritor e as vezes até poeta. Jogador nato, criado nos games do Atari aos 4K atuais. Também sou fã de literatura, rpg e cyberpunk.

Advertisement
Comments
Advertisement

Receba as novidades do Nerdtrip em seu e-mail!

Insira seu endereço de e-mail para embarcar nessa Viagem Nerd!

Advertisement

Mais lidos da semana


%d blogueiros gostam disto: