Connect with us

Papo de Cinema

PAPO DE CINEMA | Waterworld: O Segredo das Águas

Publicado

em

Salve, salve tripulantes nerds! Assistindo novamente a “Waterworld: O Segredo das Águas” (1995), tive a ideia para essa nova coluna onde falarei de produções grandiosas e caríssimas que por um motivo ou por outro acabaram fracassando, causando prejuízos catastróficos a seus produtores e muitas vezes afundando carreiras promissoras.

“Waterworld: O Segredo das Águas” não chegou a dar prejuízo no final das contas. O orçamento da produção estourou durante as filmagens e chegou a 175 milhões de dólares. Uma quantia astronômica na época. Acabou tendo um retorno de 264 milhões, muito pouco em comparação com o custo. O ator Kevin Costner foi quem bancou a ideia e a produção executiva. O filme foi dirigido por Kevin Reynolds. Porém, o diretor abandonou o projeto duas semanas antes de seu término e Costner assumiu sua cadeira. Por isso, muitos o citam erroneamente como diretor do filme. Dizem as más línguas também, que este longa foi o responsável por arruinar a carreira de Costner irremediavelmente.

A personagem Enola e a tatuagem que supostamente seria um mapa para a “terra firme”.

O enredo tratava de um mundo pós-apocaliptico, onde após o aquecimento global, as calotas polares haviam derretido totalmente, cobrindo os continentes. A sociedade humana acabou por regredir a um patamar de barbarismo, vivendo em navios e outros tipos de embarcações sobre um eterno oceano, em busca de uma tal de “terra firme”, que já nem sabem mais se realmente chegou a existir, ou se é apenas uma lenda. Uma espécie de “Mad Max” no mar.

Kevin Costner interpreta um mutante  que pode respirar de baixo d’água e que navega o oceano solitariamente em seu barco até que acaba com duas indesejáveis tripulantes: Uma mulher (Jeanne Tripplehorn)  e uma criança (Tina Majorino), que possui uma tatuagem nas costas que dizem ser o segredo, uma espécie de mapa, que pode levar à terra firme. E é por isso que todos querem capturar a pobre. Dennis Hopper interpreta o grande vilão, o líder das hordas bárbaras que quer encontrar Costner para matá-lo e dele tomar a menina e o segredo.

Dennis Hopper que recebeu injustamente o “Framboesa de Ouro” pelo filme.

Dizem as lendas, que o diretor Steven Spielberg havia aconselhado Costner a não produzir o longa, alertando-o para as dificuldades de se filmar sobre as águas, enfatizando o quão difícil havia sido filmar “Tubarão” 20 anos antes. Costner não lhe deu ouvidos. A crítica não perdoou. O filme apanhou tanto que refletiu na bilheteria desastrosa. Os atores também foram massacrados. Dennis Hopper e Kevin Costner concorreram ao famigerado “Framboesa de Ouro” por ele, sendo que Hopper levou o prêmio. O longa ainda foi indicado aos prêmios de “pior filme” e “pior diretor”. Concorreu também ao Oscar de “melhor som” e ao Bafta de “melhores efeitos especiais”, mas não levou nenhum dos dois.

Durante as filmagens, uma terrível tempestade destruiu o set da “colônia de escravos”, trazendo terrível prejuízo material, atrasando a produção em meses e culminando no já citado abandono da empreita pelo diretor Kevin Reynolds.

Mas diante de tudo isso, fazendo uma análise 22 anos depois, eu lhe pergunto amigo leitor: O filme é realmente ruim?

Não em minha opinião. Gosto muito desse filme, tem uma fotografia esplêndida, a história é boa, não é tedioso e os efeitos especiais muito bem feitos levando-se em conta a sua época. Na verdade, não deve nada aos atuais filmes de ficção com computação gráfica. E Dennis Hopper está muito bem no papel de um vilão messiânico, que arrasta hordas de bárbaros atrás de si em troca da promessa da sonhada “terra firme”. As cenas sob o oceano quando Costner mergulha, também são ótimas. E a ambientação muito caprichada e detalhada, principalmente do barco do protagonista cheio de quinquilharias adquiridas em suas andanças.

Pessoalmente acho injusto o que foi feito desse filme na época de seu lançamento e ainda recomendo para quem gosta de mundos pós-apocalípticos e ficções do gênero. Minha nota é:

Nota para o filme: 4/5

Deixe seu Comentário!

Jorge Obelix. Ancião do grupo, com milhares de anos de idade. Fã da DC Comics e maior conhecedor de Crise nas Infinitas Terras e Era de Prata do Universo. Grande fã de Nicholas Cage que acha que um filme sem ele nem pode ser considerado filme. Fã de Jeff Goldblum também, e seu maior sonho é ver ambos (Cage e Goldblum) contracenando.

Advertisement
2 Comments

Papo de Cinema

PAPO DE CINEMA | O Ineditismo e a Pluralidade do Cinema de Hong Kong no CCBB-SP

Publicado

em

(Foto – Reprodução)

O cinema de Hong Kong que fascinou o ocidente pela sua pluralidade e liberdade e por ter lançado grandes astros, como Bruce Lee, Jackie Chan e Chow Yun-Fat, ganhará a mostra inédita CIDADE EM CHAMAS: O CINEMA DE HONG KONG, que entra em cartaz no dia 20 de junho, no CCBB SP. Ainda quando era uma colônia britânica, Hong Kong foi o principal centro de produção de cinema asiático, formando uma indústria forte que dominava as bilheterias em todo o sudeste do continente.
 
Ao todo, a mostra exibirá 23 longas-metragens, desde o auge do sucesso da produtora Shaw Brothers, nos anos 60/70, passando pelo cinema novo do começo dos anos 80, até 1997, quando a colônia foi devolvida à China.
 
Com curadoria de Filipe Furtado, a mostra revelará ao público brasileiro uma parte importante da história do cinema que é pouco conhecida. Como, por exemplo, os trabalhos dos atores Bruce Lee e Jackie Chan e diretores como John Woo e Tsui Hark, que já eram estrelas na China antes se consagrarem no Ocidente.
 
– A mostra apresenta filmes nos mais diversos gêneros e registros (artes marciais,  comédias rasgadas, musicais melodramáticos, filmes policiais, de horror e fantasia), sucessos de crítica e também populares, tentando abarcar quando possível tanto os principais diretores (King Hu, Chang, Cheh, Patrick Tam, Tsui Hark, John Woo), como as principais estrelas (Grace Chang, Ti Lung, Bruce Lee, Jackie Chan, SammoHung, Chow Yun Fat, Leslie Cheung) do período –  comenta o curador.
 
Entre os destaques, estão  os “NÔMADE” (1982), de Patrick Tam, um dos pontos altos do Cinema Novo de Hong Kong e grande influência sobre Wong Kar-Wai, “SONHOS DA ÓPERA DE PEQUIM”(1986), de Tsui Hark, sobre um grupo de revolucionários na China de 1913 à beira de uma guerra civil, e “O ARCO” (1969), de Cecile Tang, um dos primeiros filmes orientais dirigido por uma mulher, que lida com a falta de opções femininas e estratificação social. “Teremos também muitos clássicos do cinema de ação – ‘O GRANDE MESTRE BEBERRÃO’ (1966), de King Hu, ‘GOLDEN SWALLOW’ (1968), de Chang Cheh, referências fortes para “O Tigre e o Dragão”, de Ang Lee; e ‘HO,O SUJO’ (1979), de Lau Kar Leung, que influenciou Quentin Tarantino em Kill Bill”.
 
A programação inclui alguns filmes com entrada franca (as senhas serão distribuídas a partir de 1 hora antes do início da sessão), entre eles Projeto China (1983), de Jackie Chan, que terá uma sessão inclusiva com audiodescrição e tradução para a linguagem de LIBRAS.
 
Atividades Extras
 
Para o público se aprofundar nesta fascinante filmografia, a mostra promoverá duas atividades extras, com entrada franca, e lançará um catálogo que poderá ser trocado por cinco ingressos de filmes assistidos durante o evento. No dia 5 de julho (quinta), às 19h, será realizado um debate, com tradução para linguagem de LIBRAS, com o curador da mostra Filipe Furtado, o crítico de cinema Ruy Gardnier, e mediação do produtor da mostra Júlio Bezerra. E, nos dias 25, 28 e 29 de junho, das 14h às 15h30, será oferecido curso “O cinema de Hong Kong”, com Filipe Furtado. As inscrições para o curso devem ser feitas através do e-mail hongkongccbb@gmail.com
 
Cinema de Hong Kong
 
Durante um logo período, entre a década de 50 do século passado e o fim dos anos 90, Hong Kong produzia filmes de ação, musicais, melodramas e comédias, sem grandes preocupações com bom gosto e preferência pelo excesso. A indústria cinematográfica local criou, aos poucos, um forte star system incluindo nomes que viriam a se tornar populares no ocidente como Bruce Lee, Jackie Chan e Chow Yun-Fat, e deu oportunidade a cineastas criativos como King Hu, Chang Cheh, John Woo, Tsui Hark e Wong Kar-wai.
 
O que começou como uma opção de fuga para alguns realizadores e produtores chineses no pós-guerra, logo se tornou um grande e efervescente centro de produção (no seu auge a cidade chegou a produzir 200 longas-metragens por ano). A regra em Hong Kong sempre foi clara: filme rápido e dentro do orçamento e tudo será liberado. Não haverá limites de conteúdo, nem das leis da física. Os filmes eram vendidos antes de serem filmados ou por vezes sequer escritos só com base num título e nas estrelas locais escaladas, o que garantia que mesmo os fracassos jamais dessem prejuízos.
 
A despeito de ocasionais surtos de interesse (sobretudo a onda dos filmes de kung fu após o sucesso de Bruce Lee nos anos 70) é a partir de meados da década de 80 que cinéfilos e críticos ocidentais descobrem a produção local. O que começou como um culto abastecido pela venda de filmes piratas nos bairros chineses das grandes cidades foi aos poucos ganhando respeitabilidade até que o cinema americano veio bater à porta e importar o talento local. Um cinema que fascinou os ocidentais justamente pela sua pluralidade e liberdade, sua recusa às regras e ao bom tom.
 
Programação – CCBB São Paulo – 20 de junho a 16 de julho
 
Semana 01
 
Quarta, 20 de junho
 
17h – “Ho, O Sujo”. “Dirty Ho / Lan to he”. De Lau Kar Leung (Hong Kong,1979). Com Wong Yue, Gordon Liu, Lo Lieh. 97 min. 14 anos.
O principe Wang (Liu) se mantém incógnito como um reles mercador. Ele se torna amigo do ladrão vagabundo Ho (Wong) e o transforma no seu guarda costas. Quando o príncipe se torna alvo de assassinos, Ho precisa se transformar num guarda costas de verdade. Um dos mais suntuosos filmes de artes marciais feitos com excepcional coreografia do mestre Lau Kar Leung.
 
19h – Sessão gratuita – “Pedicab Driver”. “Qun long xi feng”. De Sammo Hung (Hong Kong,1989). Com Sammo Hung, Benny Mok, Hoi Mang. 95 min. 14 anos
Dois motoristas de bicicleta-taxi se apaixonam por duas garotas que trabalham para chefes cruéis e abusivos. Eles tentam arranjar uma maneira de conquistar as garotas e livrá-las dos chefes. As duas principais sequências de luta são o ponto alto da carreira de coreógrafo de Sammo Hung.
 
Quinta, 21 de junho
 
17h – “Golden Swallow”. “Jin Yan Zi”.De Chang Cheh (Hong Kong,1968). Com Cheng Pei-Pei, Lo Lieh, Jimmy Yang Yu. 89 min. 14 anos.
Nesta continuação de O Grande Mestre Beberrão, a jovem Golden Swallow (Cheng Pei-Pei) aposentou-se das aventuras e vive em paz com a companhia de um “amigo” (Lo Lieh) até que uma série de crimes a obriga a ter que limpar seu nome. Ela encontra com um antigo amante (Jimmy Yang Yu) e um complicado triângulo se desenvolve.
 
19h15 – “Alvo Duplo”. “A Better Tomorrow/Ying hung boon sik”. De John Woo (Hong Kong,1986). Com Ti Lung, Chow Yun-Fat, Leslie Cheung. 95 min. 14 anos.
Uma história de irmãos e “irmãos de sangue”. Ho (Ti Lung) é um gangster, Kit (Leslie Cheung), um policial. Ho vai para cadeia após armarem contra ele e Mark (Chow Yun-Fat) vinga o amigo. Agora, Ho está fora da cadeia e tenta seguir o caminho honesto, mas Kit e a sociedade não confiam nele. As armações de um gangster ardiloso acabam aproximando Ho, Kit e Mark e os obrigando a testar os seus valores. O filme que revelou John Woo como o grande mestre da ação.
 
Sexta, 22 de junho
 
17h – “Não Brinque Com Fogo”. “Dangerous Encounters – First Kind/Di ye lei xing wei xian”.DeTsui Hark (Hong Kong,1980). Com Albert Au, Tin Sang Lung, Paul Che. 95 min. 14 anos.
Três jovens amigos vivem aprontando pequenos atos, como colocar uma bomba numa sala de cinema. Na vida deles entra uma garota solitária dada a jogos ainda mais perigosos. Do encontro deles e uma mala com notas promissórias japonesas surgirá uma escalada de violência. Esta obra-prima anarquista de Tsui Hark sobre juventude perdida de Hong Kong foi censurada e remontada à época do seu lançamento dado o seu conteúdo confrontador.
 
19h15 – “Nômade”. “Nomad/Lie huo qing chun”.DePatrick Tam (Hong Kong,1982). Com Leslie Cheung, Cecilia Yip, Pat Ha. 96 min. 14 anos.
Jovens perdidos se cruzam na noite de Hong Kong. A insatisfação dá lugar a uma possível utopia, mas a violência está ao lado. Um dos pontos altos do Cinema Novo de Hong Kong e grande influência sobre Wong Kar-Wai e seu desespero romântico.
 
Sábado, 23 de junho
 
16h – Sessão gratuita – “Projeto China”. “Project A/’A’ gai waak”. De Jackie Chan (Hong Kong,1983). Com Jackie Chan, Sammo Hung, Yuen Biao. 105 min. 14 anos.
No final do século XIX, a colônia britânica de Hong Kong está às voltas com uma horda de piratas. Oficiais corruptos seguem frustrando a guarda costeira local, mas Dragon Ma (Jackie Chan) não descansará até trazer paz às águas locais
 
19h – “Police Story”. “Ging chat goo si”. De Jackie Chan (Hong Kong,1985). Com Jackie Chan, Maggie Cheung, Brigitte Lin. 101 min. 14 anos.
Jackie é um policial honesto que precisa proteger uma testemunha de um importante caso contra um gangster. As coisas se complicam quando ele é acusado de matar um policial corrupto e tem que limpar seu nome. Exemplo maior do misto de humor e ação que fez o nome de Jackie Chan.
 
Domingo, 24 de junho 
 
16h – “Rouge”. “Yan zhi kou”. De Stanley Kwan (Hong Kong,1987). Com Anita Mui, Leslie Cheung, Alex Man.96 min. 14 anos.
Fleur é a estrela de um bordel chinês dos anos 30. Ela e Chan, um herdeiro de um império de farmácias, se apaixonam, mas as pressões familiares impedem o casamento. Eles optam então por um pacto suicida. 50 anos depois o fantasma de Fleur chega a um jornal querendo colocar um classificado à procura de Chan, que nunca chegou ao além. Um jornalista e sua namorada se fascinam pela história.
 
18h00 – Sessão gratuita – “Companheiros, quase uma história de amor”. “Comrades, Almost a Love Story/ Tian mi mi”. De Peter Chan (Hong Kong,1996). Com Maggie Cheung, Leon Lai, Eric Tsang. 118 min. 14 anos.
Jun (Leon Lai) é um jovem interiorano da China continental que chega a Hong Kong, em 1986, em busca de melhores perspectivas para se casar com a namorada de longa data. Ele conhece Quiao (Maggie Cheung), uma jovem chinesa já habituada à correria e às ambições que marcam a vida cosmopolita de Hong Kong. Ela será sua guia, amiga, amante, e, ao longo de dez anos, suas vidas vão se entrelaçar múltiplas vezes, enquanto a colônia se aproxima da sua devolução à China.
 
Semana 02
 
Segunda, 25 de junho
 
14h30 – Curso
 
17h – “Os Detetives”. “The Private Eyes / Ban jin ba liang”. De Michael Hui(Hong Kong,1976). Com Michael Hui, Sam Hui, Ricky Hui. 94 min. 14 anos.
Michael Hui, o maior comediante chinês das décadas de 70/80, se une aos seus dois irmãos, o galã Sam e o atrapalhado Ricky. Michael é o turrão dono de uma agência de detetives pronto a explorar Sam e Ricky. Juntos eles investigam os mais diferentes casos, geralmente envolvendo um adultério, incluindo um assalto a um cinema.
 
19h15 – “O Deus da Cozinha”. “God of CookerySik San”. De Stephen Chow e Lik-Chi Lee (Hong Kong,1996). Com Stephen Chow, Karen Mok, Man-Tat Ng. 95 min. 14 anos.
O Deus da cozinha (Stephen Chow) era o maior chef do mundo, mas sua arrogância e ganância fizeram com que ele esquecesse a arte de cozinhar e se tornasse apenas uma marca. Desmascarado por um chef rival, cabe ao Deus da cozinha voltar às ruas, reencontrar seu dom e recuperar seu título num duelo culinário contra seu rival.
 
Quarta, 27 de junho
 
17h –“Made in Hong Kong”. Heung Gong jai lo”. De Fruit Chan(Hong Kong,1997). Com Sam Lee, NeikyYim, Wenders Li.108 min. 14 anos.
Um jovem membro da máfia de Hong Kong (Lee) passa seus dias em busca de alguma perspectiva em companhia de um parceiro de crimes (Li) e uma garota com doença terminal (Yim). Sua existência é assombrada pelo diário de uma colegial suicida. Uma das primeiras produções genuinamente independentes de Hong Kong é um retrato duro da juventude local no momento do retorno à China.
 
19h15 –“O Arco”. “The Arch / Dong fu ren”. De Cecile Tang (Hong Kong,1969). Com Lisa Lu, Roy Chiao, Hilda Chow Hsuan. 94 min. 14 anos.
Madame Wu (Lu), uma viúva de meia idade prestes a ser honrada pelo imperador por sua castidade, se apaixona por um jovem militar (Chiao) que passa uma temporada em sua residência. Sua situação piora quando o militar passa a flertar com sua filha (Chow). 
 
Quinta, 28 de junho
 
14h30 – Curso
 
17h – “Amar Você”. “Loving You / Mou mei san taam”. De JohnnieTo (Hong Kong,1995). Com Lau Ching-Wan, Carman Lee, TsungHua-To. 84 min. 14 anos.
Liu (Lau Ching-wan) é um policial durão, desagradável e mulherengo. Sua esposa começou um caso e está grávida do amante. Quando Liu leva um tiro na cabeça numa emboscada e perde o controle de parte dos seus sentidos, sua esposa passa a tomar conta dele. Agora, Liu precisa reavaliar a vida, capturar o criminoso e, o mais importante, salvar seu casamento.
 
19h –“Fervura Máxima”. “Hard Boiled/Lat sau san taam”. De John Woo (Hong Kong,1992). Com Chow Yun-Fat, Tony Leung Chi Wai, Teresa Mo. 128 min. 14 anos.
O policial durão Tequila (ChowYun-Fat) precisa se aliar a um policial infiltrado (Tony Leung) para deter uma gangue violenta e imprevisível. Esta trama simples serve de pano de fundo para algumas das mais espetaculares sequências de ação já filmadas.
 
Sexta, 29 de junho
 
14h30 – Curso
 
17h – Sessão gratuita – “Pedicab Driver”. “Qun long xi feng”. De Sammo Hung (Hong Kong,1989). Com Sammo Hung, Benny Mok, Hoi Mang. 95 min. 14 anos
Dois motoristas de bicicleta-taxi se apaixonam por duas garotas que trabalham para chefes cruéis e abusivos. Eles tentam arranjar uma maneira de conquistar as garotas e livrá-las dos chefes. As duas principais sequências de luta são o ponto alto da carreira de coreógrafo de Sammo Hung.
 
19h15 –Sessão gratuita – “Os Condores do Oriente”. “Eastern Condors/Dung fong tuk Ying”.DeSammo Hung (Hong Kong,1987). Com Sammo Hung, Yuen Biao, Haing S. Ngor. 93 min. 14 anos.
Um grupo de prisioneiros asiáticos nos EUA recebe uma chance de perdão se forem ao Vietnã destruir uma base de mísseis secreta que os americanos deixaram para trás no fim da guerra. Lá se unem a um grupo de guerrilheiras e um artista marcial, mas há um traidor entre eles e é preciso chegar à base antes dos vietnamitas. Guerra, humor e ação nesta espécie de Os doze condenados (1967) de Hong Kong.
 
Sábado, 30 de junho 
 
17h – “O Grande Mestre Beberrão”. “Come Drink With Me/Da Zui Xia”. De King Hu (Hong Kong,1966). Com Cheng Pei-Pei, HuaYueh, Chih-Ching Yang. 91 min. 14 anos.
Criminosos sequestram o filho de um governador de província e exigem trocá-lo pela liberação do seu líder. A jovem Golden Swallow é enviada para resgatá-lo e acaba recrutando um vagabundo que se revela um mestre espadachim. Este é o primeiro grande filme de espadachim produzido pela Shaw Brothers.
 
19h –“Confissões Íntimas de Uma Cortesã Chinesa”. “Intimate Confessions of a Chinese Courtesan/Ai Nu”.De King Hu (Hong Kong,1972). Com Lily Ho, Betty Pei Ti, Hua Yueh. 97 min. 14 anos.
Ai Nu é uma jovem pobre sequestrada e vendida ao Bordel das Quatro Estações. Lá a cafetina Chun Yi fará de tudo para quebrar seu espírito. Quando Ai Nu percebe que a cafetina está apaixonada por ela, iniciará um elaborado plano de vingança contra todos os que dela tiraram vantagem. Muito polêmico à época do seu lançamento dado o misto de erotismo e violência.
 
Domingo, 01 de julho
 
16h – “O Arco”. “The Arch / Dong fu ren”. De Cecile Tang (Hong Kong,1969). Com Lisa Lu, Roy Chiao, Hilda Chow Hsuan. 94 min. 14 anos.
Madame Wu (Lu), uma viúva de meia idade prestes a ser honrada pelo imperador por sua castidade, se apaixona por um jovem militar (Chiao) que passa uma temporada em sua residência. Sua situação piora quando o militar passa a flertar com sua filha (Chow).
 
18h –“O Amor Eterno”. “The Love Eterne / Liang Shan Bo yu Zhu Ying Tai”.De Han Hsiang Li (Hong Kong,1963). Com Betty LohTi, Ivy Ling Po, Yanyan Chen. 122 min. 14 anos.
Uma jovem entra para uma universidade disfarçada de homem já que as tradições da China do Século IV proíbem o ensino superior feminino. Lá ela se torna “irmão de sangue” de um colega e aos poucos a paixão desperta entre os dois. Esta opereta é a mais popular versão da folclórica história dos “Amantes da borboleta” já filmada várias vezes. Como manda a tradição da ópera Huangmei ambos os papéis centrais são interpretados por mulheres.
 
Semana 03
 
Segunda, 02 de julho
 
17h – “Police Story”. “Ging chat goo si”. De Jackie Chan (Hong Kong,1985). Com Jackie Chan, Maggie Cheung, Brigitte Lin. 101 min. 14 anos.
Jackie é um policial honesto que precisa proteger uma testemunha de um importante caso contra um gangster. As coisas se complicam quando ele é acusado de matar um policial corrupto e tem que limpar seu nome. Exemplo maior do misto de humor e ação que fez o nome de Jackie Chan.
 
19h15 – “Os Detetives”. “The Private Eyes / Ban jin ba liang”. De Michael Hui(Hong Kong,1976). Com Michael Hui, Sam Hui, Ricky Hui. 94 min. 14 anos.
Michael Hui, o maior comediante chinês das décadas de 70/80, se une aos seus dois irmãos, o galã Sam e o atrapalhado Ricky. Michael é o turrão dono de uma agência de detetives pronto a explorar Sam e Ricky. Juntos eles investigam os mais diferentes casos, geralmente envolvendo um adultério, incluindo um assalto a um cinema.
 
Quarta, 04 de julho 
 
17h – Sessão gratuita – “Projeto China”. “Project A/’A’ gai waak”. De Jackie Chan (Hong Kong,1983). Com Jackie Chan, Sammo Hung, Yuen Biao. 105 min. 14 anos.
No final do século XIX, a colônia britânica de Hong Kong está às voltas com uma horda de piratas. Oficiais corruptos seguem frustrando a guarda costeira local, mas Dragon Ma (Jackie Chan) não descansará até trazer paz às águas locais.
 
19h – “Irmãos de Sangue”. “Blood Brothers/Ci Ma”. De Chang Cheh (Hong Kong,1973). Com David Chiang, Ti Lung, Chen Kuan-Tai. 118 min. 14 anos.
Chang (Chiang), Huang (Chen) são dois pequenos bandidos que formam uma forte amizade com o soldado Ma (Lung) e montam um exército poderoso para tomar a província, levando Ma ao poder. Os irmãos de sangue, contudo, serão testados quando a cobiça e a luxuria fazem com que Ma volte os olhos para a bela esposa de Huang.
 
Quinta, 05 de julho
 
17h – “Sonhos da Ópera de Pequim”. “Peking Opera Blues/Do ma daan”. De Tsui Hark (Hong Kong,1986). Com Brigitte Lin, Sally Yeh, Cherie Chung. 104 min. 14 anos.
1913. China à beira da guerra civil com um governo corrupto e múltiplas facções buscando o poder. Um grupo de revolucionários tenta estabelecer uma república democrática. Entre os bastidores da Ópera de Pequim e os palácios do poder, três mulheres, uma golpista (Cherie Chung), uma aspirante à atriz (Sally Yeh) e a filha de um militar corrupto (Brigitte Lin) seguem cruzando os caminhos de um soldado desertor e um jovem revolucionário.
 
19h – Debate com Luiz Carlos Oliveira Jr., Francis Vogner dos Reis e Filipe Furtado – com tradução em LIBRAS.
 
Sexta, 06 de julho
 
17h – “Amar Você”. “Loving You / Mou mei san taam”. De JohnnieTo (Hong Kong,1995). Com Lau Ching-Wan, Carman Lee, TsungHua-To. 84 min. 14 anos.
Liu (Lau Ching-wan) é um policial durão, desagradável e mulherengo. Sua esposa começou um caso e está grávida do amante. Quando Liu leva um tiro na cabeça numa emboscada e perde o controle de parte dos seus sentidos, sua esposa passa a tomar conta dele. Agora, Liu precisa reavaliar a vida, capturar o criminoso e, o mais importante, salvar seu casamento.
 
19h15 – “Made in Hong Kong”. Heung Gong jai lo”. De Fruit Chan(Hong Kong,1997). Com Sam Lee, NeikyYim, Wenders Li.108 min. 14 anos.
Um jovem membro da máfia de Hong Kong (Lee) passa seus dias em busca de alguma perspectiva em companhia de um parceiro de crimes (Li) e uma garota com doença terminal (Yim). Sua existência é assombrada pelo diário de uma colegial suicida. Uma das primeiras produções genuinamente independentes de Hong Kong é um retrato duro da juventude local no momento do retorno à China.
 
Sábado, 07 de julho
 
17h15 – “Nômade”. “Nomad/Lie huo qing chun”. De Patrick Tam (Hong Kong,1982). Com Leslie Cheung, Cecilia Yip, Pat Ha. 96 min. 14 anos.
Jovens perdidos se cruzam na noite de Hong Kong. A insatisfação dá lugar a uma possível utopia, mas a violência está ao lado. Um dos pontos altos do Cinema Novo de Hong Kong e grande influência sobre Wong Kar-Wai e seu desespero romântico.
 
19h – “Os Refugiados do Barco”. “Boat People/Tau ban no hoi”. De Ann Hui(Hong Kong,1982). Com George Lam, Season Ma, Chang Tung-Sheng. 109 min. 14 anos.
Entre o fim dos anos 70 e os 80, Hong Kong se viu às voltas com um grande influxo de refugiados vietnamitas fugindo do regime comunista local, conhecidos simplesmente como “boat people”. A diretora Ann Hui fez uma série de filmes tentando aproximar a população local do drama deles. Os Refugiados do Barco é o mais famoso deles. Nele, um fotojornalista japonês (George Lam), numa turnê oficial do regime, acaba por acidente se deparando com as dificuldades da população para além das imagens oficiais
 
Domingo, 08 de julho
 
16h – “Alvo Duplo”. “A Better Tomorrow/Ying hung boon sik”. De John Woo (Hong Kong,1986). Com Ti Lung, Chow Yun-Fat, Leslie Cheung. 95 min. 14 anos.
Uma história de irmãos e “irmãos de sangue”. Ho (Ti Lung) é um gangster, Kit (Leslie Cheung), um policial. Ho vai para cadeia após armarem contra ele e Mark (Chow Yun-Fat) vinga o amigo. Agora, Ho está fora da cadeia e tenta seguir o caminho honesto, mas Kit e a sociedade não confiam nele. As armações de um gangster ardiloso acabam aproximando Ho, Kit e Mark e os obrigando a testar os seus valores. O filme que revelou John Woo como o grande mestre da ação.
 
18h – “Fervura Máxima”. “Hard Boiled/Lat sau san taam”. De John Woo (Hong Kong,1992). Com Chow Yun-Fat, Tony Leung Chi Wai, Teresa Mo. 128 min. 14 anos.
O policial durão Tequila (ChowYun-Fat) precisa se aliar a um policial infiltrado (Tony Leung) para deter uma gangue violenta e imprevisível. Esta trama simples serve de pano de fundo para algumas das mais espetaculares sequências de ação já filmadas.
 
Semana 04
 
Segunda, 09 de julho
              
17h – Sessão gratuita – “Companheiros, Quase uma História de Amor”. “Comrades, Almost a Love Story/ Tian mi mi”. De Peter Chan (Hong Kong,1996). Com Maggie Cheung, Leon Lai, Eric Tsang. 118 min. 14 anos.
Jun (Leon Lai) é um jovem interiorano da China continental que chega a Hong Kong, em 1986, em busca de melhores perspectivas para se casar com a namorada de longa data. Ele conhece Quiao (Maggie Cheung), uma jovem chinesa já habituada à correria e às ambições que marcam a vida cosmopolita de Hong Kong. Ela será sua guia, amiga, amante, e, ao longo de dez anos, suas vidas vão se entrelaçar múltiplas vezes, enquanto a colônia se aproxima da sua devolução à China.
 
19h15 – “Confissões Íntimas de Uma Cortesã Chinesa”. “Intimate Confessions of a Chinese Courtesan/Ai Nu”. DeKing Hu (Hong Kong,1972). Com Lily Ho, Betty Pei Ti, Hua Yueh. 97 min. 14 anos.
Ai Nu é uma jovem pobre sequestrada e vendida ao Bordel das Quatro Estações. Lá a cafetina Chun Yi fará de tudo para quebrar seu espírito. Quando Ai Nu percebe que a cafetina está apaixonada por ela, iniciará um elaborado plano de vingança contra todos os que dela tiraram vantagem. Muito polêmico à época do seu lançamento dado o misto de erotismo e violência.
 
Quarta, 11 de julho
 
17h – Sessão gratuita – “Projeto China”. “Project A/’A’ gai waak”. De Jackie Chan (Hong Kong,1983). 105 min. 14 anos. Sessão Inclusiva – audiodescrição + legendagem + LIBRAS.
 
19h15 – “Ho, o Sujo”. “Dirty Ho / Lan to he”. De Lau Kar Leung (Hong Kong,1979). Com Wong Yue, Gordon Liu, Lo Lieh. 97 min. 14 anos.
O príncipe Wang (Liu) se mantém incógnito como um reles mercador. Ele se torna amigo do ladrão vagabundo Ho (Wong) e o transforma no seu guarda costas. Quando o príncipe se torna alvo de assassinos, Ho precisa se transformar num guarda costas de verdade. Um dos mais suntuosos filmes de artes marciais feitos com excepcional coreografia do mestre Lau Kar Leung.
 
Quinta, 12 de julho
 
17h – “O Deus da Dozinha”. “God of CookerySik San”. DeStephen Chow e Lik-Chi Lee (Hong Kong,1996). Com Stephen Chow, Karen Mok, Man-Tat Ng. 95 min. 14 anos.
O Deus da cozinha (Stephen Chow) era o maior chef do mundo, mas sua arrogância e ganância fizeram com que ele esquecesse a arte de cozinhar e se tornasse apenas uma marca. Desmascarado por um chef rival, cabe ao Deus da cozinha voltar às ruas, reencontrar seu dom e recuperar seu título num duelo culinário contra seu rival.
 
19h – “Os Refugiados do Barco”.“Boat People/Tau ban no hoi”. DeAnn Hui(Hong Kong,1982). Com George Lam, Season Ma, Chang Tung-Sheng. 109 min. 14 anos.
Entre o fim dos anos 70 e os 80, Hong Kong se viu às voltas com um grande influxo de refugiados vietnamitas fugindo do regime comunista local, conhecidos simplesmente como “boat people”. A diretora Ann Hui fez uma série de filmes tentando aproximar a população local do drama deles. Os Refugiados do Barco é o mais famoso deles. Nele, um fotojornalista japonês (George Lam), numa turnê oficial do regime, acaba por acidente se deparando com as dificuldades da população para além das imagens oficiais.
 
Sexta, 13 de julho 
 
17h – Sessão gratuita – “Os Condores do Oriente”. “Eastern Condors/Dung fong tuk Ying”.De Sammo Hung (Hong Kong,1987). Com Sammo Hung, Yuen Biao, Haing S. Ngor. 93 min. 14 anos.
Um grupo de prisioneiros asiáticos nos EUA recebe uma chance de perdão se forem ao Vietnã destruir uma base de mísseis secreta que os americanos deixaram para trás no fim da guerra. Lá se unem a um grupo de guerrilheiras e um artista marcial, mas há um traidor entre eles e é preciso chegar à base antes dos vietnamitas. Guerra, humor e ação nesta espécie de Os doze condenados (1967) de Hong Kong.
19h15 – “O Grande Mestre Beberrão”. “Come Drink With Me/Da Zui Xia”. DeKing Hu (Hong Kong,1966). Com Cheng Pei-Pei, HuaYueh, Chih-Ching Yang. 91 min. 14 anos.
Criminosos sequestram o filho de um governador de província e exigem trocá-lo pela liberação do seu líder. A jovem Golden Swallow é enviada para resgatá-lo e acaba recrutando um vagabundo que se revela um mestre espadachim. Este é o primeiro grande filme de espadachim produzido pela Shaw Brothers
 
Sábado, 14 de julho 
 
17h – “Golden Swallow”. “Jin Yan Zi”.DeChang Cheh (Hong Kong,1968). Com Cheng Pei-Pei, Lo Lieh, Jimmy Yang Yu. 89 min. 14 anos.
Nesta continuação de O Grande Mestre Beberrão, a jovem Golden Swallow (Cheng Pei-Pei) aposentou-se das aventuras e vive em paz com a companhia de um “amigo” (Lo Lieh) até que uma série de crimes a obriga a ter que limpar seu nome. Ela encontra com um antigo amante (Jimmy Yang Yu) e um complicado triângulo se desenvolve.
 
19h – “Irmãos de Sangue”. “Blood Brothers/Ci Ma”. De Chang Cheh (Hong Kong,1973). Com David Chiang, Ti Lung, Chen Kuan-Tai. 118 min. 14 anos.
Chang (Chiang), Huang (Chen) são dois pequenos bandidos que formam uma forte amizade com o soldado Ma (Lung) e montam um exército poderoso para tomar a província, levando Ma ao poder. Os irmãos de sangue, contudo, serão testados quando a cobiça e a luxúria fazem com que Ma volte os olhos para a bela esposa de Huang.
 
Domingo, 15 de julho
 
16h – “Não Brinque com Fogo”. “Dangerous Encounters – First Kind/Di ye lei xing wei xian”.De Tsui Hark (Hong Kong,1980). Com Albert Au, Tin Sang Lung, Paul Che. 95 min. 14 anos.
Três jovens amigos vivem aprontando pequenos atos, como colocar uma bomba numa sala de cinema. Na vida deles entra uma garota solitária dada a jogos ainda mais perigosos. Do encontro deles e uma mala com notas promissórias japonesas surgirá uma escalada de violência. Esta obra-prima anarquista de Tsui Hark sobre juventude perdida de Hong Kong foi censurada e remontada à época do seu lançamento dado o seu conteúdo confrontador.
 
18h – “Sonhos da Ópera de Pequim”. “Peking Opera Blues/Do ma daan”. De Tsui Hark (Hong Kong,1986). Com Brigitte Lin, Sally Yeh, Cherie Chung. 104 min. 14 anos.
1913. China à beira da guerra civil com um governo corrupto e múltiplas facções buscando o poder. Um grupo de revolucionários tenta estabelecer uma república democrática. Entre os bastidores da Ópera de Pequim e os palácios do poder, três mulheres, uma golpista (Cherie Chung), uma aspirante à atriz (Sally Yeh) e a filha de um militar corrupto (Brigitte Lin) seguem cruzando os caminhos de um soldado desertor e um jovem revolucionário.
 
Segunda, 16 de julho
              
17h – “Rouge”. “Yan zhi kou”. De Stanley Kwan (Hong Kong,1987). Com Anita Mui, Leslie Cheung, Alex Man.96 min. 14 anos.
Fleur é a estrela de um bordel chinês dos anos 30. Ela e Chan, um herdeiro de um império de farmácias, se apaixonam, mas as pressões familiares impedem o casamento. Eles optam então por um pacto suicida. 50 anos depois o fantasma de Fleur chega a um jornal querendo colocar um classificado à procura de Chan, que nunca chegou ao além. Um jornalista e sua namorada se fascinam pela história.
 
19h – “O Amor Eterno”. “The Love Eterne / Liang Shan Bo yu Zhu Ying Tai”.DeHan Hsiang Li (Hong Kong,1963). Com Betty LohTi, Ivy Ling Po, Yanyan Chen. 122 min. 14 anos.
Uma jovem entra para uma universidade disfarçada de homem já que as tradições da China do Século IV proíbem o ensino superior feminino. Lá ela se torna “irmão de sangue” de um colega e aos poucos a paixão desperta entre os dois. Esta opereta é a mais popular versão da folclórica história dos “Amantes da borboleta” já filmada várias vezes. Como manda a tradição da ópera Huangmei ambos os papéis centrais são interpretados por mulheres.
 
Serviço:

Mostra “CIDADE EM CHAMAS: O CINEMA DE HONG KONG“
Patrocínio: Banco do Brasil
Curadoria: Filipe Furtado
Produção: Julio Bezerra
Realização: Centro Cultural Banco do Brasil
 
Data: de 20 de junho a 16 de julho
Todos os ingressos: R$ 10,00 e 5,00 (meia entrada)
 
Horários e classificação indicativa disponíveis no site:
 
http://culturabancodobrasil.com.br/portal/sao-paulo/
 
Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo -SP
(Acesso ao calçadão pela estação São Bento do Metrô)
(11) 3113-3651/3652 | Quarta a segunda, das 9h às 21h
ccbbsp@bb.com.br  |  www.bb.com.br/cultura  |  www.twitter.com/ccbb_sp  |
www.facebook.com/ccbbsp | www.instagram.com/bancodobrasil
 
Acesso e facilidades para pessoas com deficiência | Ar-condicionado | Cafeteria e Restaurante | Loja
Estacionamento conveniado: Estapar – Rua Santo Amaro, 272.
Traslado gratuito até o CCBB. No trajeto de volta, a van tem parada na estação República do Metrô.
Valor: R$ 15 pelo período de 5 horas.
É necessário validar o ticket na bilheteria do CCBB.


SIGA-NOS nas redes sociais:

FACEBOOK: facebook.com/nerdtripoficial
TWITTER: twitter.com/nerdtripoficial
INSTAGRAM: instagram.com/nerdtrip_
VISITE NOSSO SITE: www.nerdtrip.com.br


Leia outras notícias do Nerdtrip e confira também:

CROSSFIRE: LEGENDS | Game chega ao Brasil trazendo ação FPS frenética aos celulares

ELZA SOARES | Cantora lança “Deus É Mulher” no Sesc Vila Mariana no feriado e fim de semana!

BGS 2018 | Fumito Ueda, criador de “The Last Guardian” e “Shadow of the Colossus” vem à 11ª edição!

MONSTER HUNTER WORLD | Atualizações e último Dragão ancião chegam aos consoles nessa semana

SPAWN | Jamie Foxx é oficializado como protagonista da produção


Studio Geek – Os Melhores Produtos da Cultura Pop, Geek e Nerd.

Deixe seu Comentário!

Continue lendo

Papo de Cinema

PAPO DE CINEMA | Paraíso Perdido é uma “pérola perdida” do cinema brasileiro?

Publicado

em

(Foto – Reprodução)

Em meio a tantos super-heróis bombados, mercenários indestrutíveis tagarelas, explosões a rodo, “universocídio” e coisas afins, o cinema autoral, principalmente o brasileiro, tenta se manter vivo, a trancos e barrancos.

Nesse sentido, dia 31 de maio estreia no circuito nacional (muito provavelmente circunscrito às salas Belas Artes e afins espalhadas por aí) o filme Paraíso Perdido, de Monique Gardenberg (do questionável “Ó Paí, Ó“), estrelado por nada mais, nada menos, que Erasmo Carlos, mas contando com a refinada participação de Seu Jorge e de um elenco de primeira, encabeçado por Júlio Andrade, Humberto Carrão e Marjorie Estiano (que repetem a parceria vista na série televisiva Sob Pressão); Hermila Guedes (uma das minhas atrizes favoritas),  Jaloo (o andrógino cantor/compositor de música eletrônica paraense, estreando como ator), Malu Galli, Julia Konrad, Lee Taylor e Felipe Abib.

A história do filme se concentra nos personagens que gerenciam e frequentam a boate Paraíso Perdido, comandada por José (personagem de Erasmo Carlos) e sua “família” (de sangue e por “afinidade”) e tem, como pano de fundo narrativo a música brega brasileira. Não é à toa, por exemplo, que um dos personagens principais tem o sugestivo nome de “Odair”, que, junto com o personagem de Erasmo Carlos, forma o nome de um dos maiores ícones da música brega nacional, Odair José ­– autor de clássicos como “Eu vou tirar você deste lugar” (que conta a história de uma prostituta), “Pare de Tomar a Pílula”, “Vamos Viver essa Noite”, entre outros.

No mesmismo temático da filmografia brasileira, Paraíso Perdido parece ser um “respiro” de criatividade, apesar de – pelo belo trailer – ficar óbvio que a quantidade de personagens em tela (sugerindo muitas tramas paralelas) possa prejudicar o andamento ou a amarração da história como um todo; o baixo orçamento – percebido pela paleta escura da fotografia utilizada – tenha limitado a produção a se centralizar em poucas locações externas e soluções “criativas”.

É esperar para ver (a maioria do público em festivais ou no Canal Brasil, infelizmente).

Para os tripulantes que quiserem uma viagem “diferente”, fica aí a dica!!

Trailer oficial do filme:


Leia outras notícias do Nerdtrip e confira também:

VINGADORES 4 | Primeira sinopse é revelada!

PANTERA NEGRA 2 | Donald Glover pode interpretar vilão no longa!

A-X-L | Trailer sobre um cachorro-robô-gigante-arma-militar-bonzinho?

ESCONDIDO NA NETFLIX | Uma Caminhada na Floresta

CONFABULANDO LETRAS | Como escrever um livro? (Parte 03)


Studio Geek – Os Melhores Produtos da Cultura Pop, Geek e Nerd.

Deixe seu Comentário!

Continue lendo

Papo de Cinema

PAPO DE CINEMA | Cronologia do universo de filmes e séries da Marvel

Publicado

em

Gostaria de atualizar e mostrar toda a cronologia dos filmes da Marvel, já que estamos às vésperas do lançamento de “Vingadores Guerra Infinita”. Primeira coisa que você tem que saber é que a Marvel estava numa situação muito complicada quando vendeu os direitos de alguns heróis para Sony e Fox antes de levar a sério o cinema.

Então, eles venderam: X-Men 1, 2, 3, Primeira Classe, Dias de um Futuro Esquecido, Apocalipse; Wolverine 1, 2, 3; Deadpool, Quarteto Fantástico 1, 2 e o novo mais adolescente; Homem-Aranha 1, 2, 3; e o Espetacular Homem-Aranha 1 e 2.

A Marvel também espalhou outros heróis por alguns outros estúdios e talvez você tenha assistido ou ouvido falar: Hulk (um que ele pula bemmmmm alto e fica bemmmmm agigantado quando toma tiros… Os direitos sobre o Hulk são divididos entre Marvel e Universal, por isso a Marvel não pode fazer filmes solo do nosso herói verde), Demolidor (estrelado pelo Ben Affleck), Elektra, Motoqueiro Fantasma 1, 2.

Contudo, entretanto e todavia… a Marvel melhorou sua situação e resolveu ir para o cinema. Foi assim que nasceu o MCU, o universo compartilhado, como acontece nos quadrinhos. Depois que ela foi bem-sucedida em seus projetos, abriu os olhos do Tio Patinhas… Digo, da Disney e ela comprou a Marvel, passando a ser conhecida como Marvel Studios. Claro que depois de algum tempo e muitas negociações, ela conseguiu compartilhar os direitos e o Homem-Aranha estava “De volta ao Lar”.

Em dezembro de 2017 a Disney sacramentou a compra da FOX, mais especificamente do 21st Century Fox, e não é segredo que ela tem os direitos dos X-Men (Deadpool, Legião, The Gifted, Novos Mutantes) e Quarteto Fantástico. Ainda é cedo para dizer o que isso significará nos próximos anos no Universo Cinematográfico da Marvel Studios.

Mas aqui vai uma dica… não confundam!!! Os  filmes do Batman, Superman, Mulher Maravilha, Flash, Arrow, Lanterna Verde, Aquaman, Esquadrão Suicida, Constantine, Watchmen, V de Vingança, Liga da Justiça, por exemplo, pois eles são heróis da concorrência. Combinado? Na minha humilde opinião (embora há controvérsias… #adorocausar), a DC ainda não emplacou e deu uma dentro em seu “universo compartilhado” (à exceção se faz em algumas séries!), mas esperamos que logo eles acertem o passo… Então nada de perguntar o motivo do Batman e Superman não aparecerem nos Vingadores ou na Guerra Civil, certo?

Bom e cadê essa lista dos filmes? Calma… A lista cronológica eu recomendo para quem já conhece um pouco dos filmes. Também recomendo que se forem assistir segundo a minha sugestão, não levem em conta as cenas pós-créditos, pois elas só fazem sentido se assistirem os filmes na ordem em que foram lançados. Por isso, se você não assistiu nada ainda, ou viu um ou outro, indico a lista de lançamento mesmo na ordem em que a Marvel lançou cada um, o que for série estará com asterisco. Bora lá!

Capitão América: O Primeiro Vingador

*Agent Carter — Temporada 1 e 2 (série interrompida pela ABC)

Homem de Ferro

Homem de Ferro 2

O Incrível Hulk

Thor

Os Vingadores

*Demolidor (1ª temporada)

Homem de Ferro 3

*Agents of SHIELD (1ª Temporada — Episódios 1–7)

Thor: O Mundo Sombrio

*Agents of SHIELD (1ª Temporada — Episódios 8–15)

Capitão América: O Soldado Invernal

*Agents of SHIELD (1ª Temporada — Episódios 16–22)

Guardiões da Galáxia

*Agents of SHIELD (2ª Temporada — Episódios 1–19)

Vingadores: Era de Ultron

*Agents of SHIELD (2ª Temporada — Episódios 20–22)

Homem-Formiga

Capitão América: Guerra Civil

*Agents of SHIELD (3ª Temporada)

*Agents of SHIELD: Slingshot (Miniserie)

Homem-Aranha: De Volta ao Lar

Pantera Negra

Homem Formiga e Vespa (previsto para 05/07/18, Brasil)

*Jessica Jones (1ª Temporada)

*Demolidor (2ª Temporada)

*Luke Cage (1ª Temporada)

Doutor Estranho

*Punhos de Ferro (Iron Fist — 1ª Temporada)

*Agents of SHIELD (4ª Temporada — Episódios 1–8)

*Os Defensores (Demolidor+LukeCage+JessicaJones+Punhos de Ferro)

*Fugitivos (1ª Temporada)

Guardiões da Galáxia 2

*Agents of SHIELD (4ª Temporada — Episódios 9–22)

*Inumanos (1ª temporada)

Thor: Ragnarok

*O Justiceiro

*Agents of SHIELD (5ª Temporada )

*Jessica Jones (2ª Temporada )

Os Vingadores: Guerra Infinita (26 de Abril de 2018)

*Manto e Adaga (1ª Temporada — 26 de Junho nos EUA)

Capitã Marvel (14 de Março de 2019 nos EUA)

Os Vingadores: 4 (3 de Maio de 2019 nos EUA)

Fique por aqui no Nerdtrip e acompanhe tudo do mundo nerd!

Abraços e… “Hora de dar tchau”… Tchaau!


SIGA-NOS nas redes sociais:

FACEBOOK: facebook.com/nerdtripoficial
TWITTER: twitter.com/nerdtripoficial
INSTAGRAM: instagram.com/nerdtrip_
VISITE NOSSO SITE: www.nerdtrip.com.br


Leia outras notícias do Nerdtrip e confira também:

FORTNITE | Epic fala sobre problema de replay corrompido

VINGADORES: GUERRA INFINITA | Contagem Regressiva (Faltam 7 dias)

VINGADORES: GUERRA INFINITA | Cinemas fazem maratona de Vingadores no dia 25 abril! Saiba os detalhes!

DEADPOOL 2 | Mercenário brinca com o universo DC no trailer final da produção

O PROTETOR 2 | Assista ao primeiro trailer do filme estrelado por Denzel Washington

GENIUS | National Geographic estreia nova temporada da antologia com Antonio Banderas no papel do famoso pintor Pablo Picasso


Studio Geek – Os Melhores Produtos da Cultura Pop, Geek e Nerd.

 

Deixe seu Comentário!

Continue lendo

Deixe seu Comentário!

Advertisement

Receba as novidades do Nerdtrip em seu e-mail!

Insira seu endereço de e-mail para embarcar nessa Viagem Nerd!

Advertisement

Mais lidos da semana

%d blogueiros gostam disto: