Connect with us

Críticas

ATENTADO AO HOTEL TAJ MAHAL | Um thriller forte, realista e angustiante (Crítica)

Publicado

em

De 26 de novembro a 29 de novembro de 2008, a cidade de Mumbai, na Índia, foi sitiada por um grupo de 10 jihadistas que entraram na metrópole por meio de uma embarcação de pesca sequestrada e criaram o caos e a carnificina através de uma série de tiroteios e atentados, tendo alvos-chave em toda a cidade. O assalto central ocorreu no famoso Taj Mahal Palace Hotel, uma joia de luxo de sete andares no coração de Mumbai, onde cerca de 500 hóspedes e funcionários ficaram presos a quatro dos terroristas. Quando os ataques terminaram, mais de 170 pessoas morreram em toda a cidade, incluindo 32 no hotel destruído.

Foto: Imagem Filmes (Divulgação)

Cento e trinta e nove vítimas eram cidadãos indianos; 54 morreram em uma estação de trem próxima; 30 morreram no Oberoi Hotel a poucos quarteirões de distância; 10 em um café e cerca de 10 mais em um cinema local. No Hotel Mumbai (conhecido localmente como o Hotel Taj Mahal), 26 convidados estrangeiros e cinco funcionários morreram.

Com esses dados dolorosos, temos em tela o primeiro longa (depois de um par de curtas-metragens) do diretor australiano Anthony Maras, que escreveu (com John Collee, roteirista britânico com vasta experiência no cinema), dirigiu e editou em duas horas uma adaptação primorosa que destaca o cerco de quase 58 horas violentas de 10 extremistas islamistas bem treinados e equipados.

Maras e Collee penduram a narrativa do filme em dois grupos de personagens, vítimas e atacantes. Oberoi (interpretado pela lenda de Bollywood, Anupam Kher) interpreta o chefe de cozinha no Taj. Armie Hammer e a iraniana Nazanin Boniadi interpretam um casal americano rico e Tilda Cobham-Hervey interpreta Sally, a babá, que cuida de seu filho recém-nascido. Jason Isaacs interpreta Vasili, um oligarca russo e Dev Patel interpreta Arjun, um garçom no Taj, cuja ajuda foi fundamental para levar os hóspedes à segurança.

Liderando os atacantes, Amandeep Singh interpreta Imram e Suhail Nayyar interpreta Abdullah, dois homens tão imbuídos da ética islamista-terrorista que perderam todo o contato com sua humanidade. Os terroristas chegaram furtivamente na cidade, encorajados em sua missão por um líder invisível que declara de um telefone celular:

“Veja tudo o que eles roubaram de seus pais e avós”.

Essa declaração e as dicotomias gritantes inerentes à própria Mumbai. O opulento Taj fica literalmente a alguns quarteirões da pobreza extrema – poderia fornecer algum contexto para um filme com maiores preocupações temáticas. Mas assim que os ataques começam, o Hotel se transforma em mais ou menos um thriller de ação, embora mais intenso e apavorante do que qualquer outro que vimos em algum tempo, no qual os personagens se enroscam nos corredores labirínticos do hotel e os quartos brincam de gato e rato com seus atacantes.

O elenco em si é quase uniformemente fantástico, mesmo que eles recebam muito pouco para trabalhar em termos de caracterização. Liderando o caminho está o grande Kher, cuja própria dignidade natural e cordialidade transformam Oberoi, que liderou um contingente de funcionários em uma busca para proteger seus hóspedes em um modelo de graça e coragem, mesmo quando ele comete erros e dúvida de suas decisões. Patel, Boniadi e Hammer são eficazes, mas têm mais papéis nas ações. Em um momento de mão pesada, Patel tenta acalmar uma idosa branca que faz objeções ao seu turbante; Boniadi se sai melhor em uma sequência excruciante, onde começa a recitar uma oração muçulmana e atira o terrorista que estava prestes a matá-la em confusão.

Apesar desses acontecimentos, temos uma lista enorme de personagens secundários, principalmente na tela, que estão apenas com o tempo suficiente para conscientizá-los antes que as balas da AK47 os eliminem. O filme é envolvente e segue como um thriller do mais alto nível. 

Foto: Imagem Filmes (Divulgação)

Assista e sinta seus terríveis acontecimentos se desdobrando. Observe e ofegue a devoção desumana dos atacantes a Allah (Alá). Assista e sinta-se um pouco envergonhado pelo modo como muitos hóspedes consideram a equipe do hotel. Sinta-se bastante desconfortável com a chegada tardia de forças treinadas para enfrentar os assassinos e derrubar todos menos um deles (o décimo foi enforcado secretamente quase quatro anos depois do início do ataque).

E admire o ofício cinematográfico de Anthony Maras. “Atentado ao Hotel Taj Mahal” é um quebra-cabeças de mil peças, cada uma em seu lugar correto. Sua falha em mencionar o papel do Paquistão na preparação para o ataque não diminui seu impacto como um grande thriller. 


Nota para o filme:

4,5 / 5


Trailer:


SIGA-NOS nas redes sociais:

FACEBOOK: facebook.com/nerdtripoficial

TWITTER: twitter.com/nerdtripoficial

INSTAGRAM: instagram.com/nerdtrip_

VISITE NOSSO SITE: www.nerdtrip.com.br


Leia outras notícias do Nerdtrip e confira também:

ELDER SCROLLS ONLINE | Saiba mais sobre a classe Necromante que chegará em Junho!

K-POP | MASC retorna ao Brasil para turnê em maio com nova formação!

GAME OF THRONES | 8ª Temporada – Episódio #03 (Crítica)

THE ORVILLE | Flashpoint Paradox Versão Seth MacFarlane – Episódio #13 – Tomorrow, Tomorrow and Tomorrow – Crítica do Viajante

VINGADORES: ULTIMATO | O épico final da jornada contra Thanos (Crítica)

Professor de Biologia e Educação Física Escolar, amante de praticamente tudo do mundo nerd e lunático pela 7º Arte. Apresentador do Teekcast, gosta da Marvel mas não tem vergonha de revelar para todos o seu amor platônico pela DC Comics e odeia a briga boba entre marvetes e dcnautas.

Comente aqui!
Advertisement

Receba as novidades do Nerdtrip em seu e-mail!

Insira seu endereço de e-mail para embarcar nessa Viagem Nerd!

Mais lidos da semana


%d blogueiros gostam disto: