Connect with us

Críticas

STAR TREK DISCOVERY | Reviravoltas e Fan-Service – Episódio 11: The Wolf Inside – Crítica do Viajante

Publicado

em


The Wolf Inside é, em minha humilde opinião, o melhor episódios dos 11 apresentados até agora da nova série da franquia criada por Gene RodenberryStar Trek: Discovery. Muitas reviravoltas e um fan-service perfeito para os nostálgicos da série clássica de 1966.

O episódio continua com a trama em que a U.S.S, Discovery se encontra no chamado Universo-Espelho após vários saltos consecutivos dados pela nave graças a seu motor orgânico-micelial que acabou jogando-a com toda sua tripulação nesse universo paralelo onde os humanos dominam o quadrante através de um império cruel e xenófobo que persegue e extermina espécies de outros planetas. Uma resistência liderada por klingons mas que engloba várias outras raças conhecidas pelos fãs, como vulcanos e andorianos, tenta debelar essa tirania.

Na tentativa de descobrir uma forma de voltar ao próprio universo, já que o motor citado não funciona mais pois seu principal catalisador orgânico, o engenheiro-chefe Paul Stamets (Anthony Rapp) está em coma, a especialista Michael Burnham (Sonequa Martin-Green) substitui sua contraparte como capitã implacável da U.S.S. Shenzhou, que nesse universo foi dada como morta, e ao que tudo indica, realmente está. É nesse cenário que recebe ordens do império para destruir uma base da resistência recém-descoberta, porém, com a desculpa de tentar descobrir segredos fundamentais para acabar de vez com os rebeldes, Burham resolve se infiltrar ao invés de destrui-los como lhe foi designado.

Andoriano em STD

Quando a série se iniciou, muitas reclamações a respeito do novo visual dos klingons espalharam-se pelas redes sociais e entre os trekkers. No auge da “rage”, cheguei a ler comentários do tipo: “Se fizeram isso com os klingons, não quero nem ver o que farão com outros alienígenas clássicos como os andorianos“.  Pois eis que os humanóides de pele azul apareceram pela primeira vez em Discovery e para a alegria dos conservadores, com exceção de uma espécie de protuberância na testa semelhantes a um chifre sob a pele, nada mudou na aparência deles.

Sarek usando cavanhaque, assim como Spock nos eps de Universo espelho em TOS

Vulcanos e telaritas também aparecem em uma mesa em um conselho de guerra da resistência que recebem Burham. Para tirar a dúvida sobre a veracidade do que ela diz, é convocado o “profeta”. É quando surge o vulcano Sarek” (James Frain), famoso por ser o pai do ícone Spock da série original e que já havia aparecido em alguns episódios de Discovery. O detalhe, o fan-service que chamou a atenção dos trekkers mais atentos e que foi lindo de se ver, é que o personagem usava um cavanhaque, assim como Spock usava nos episódios de Universo-Espelho da série original.

Para aqueles que reclamaram também das atitudes aparentemente amorais e anti-éticas do capitão Gabriel Lorca” (Jason Isaacs) em episódios passados, pontos para Burham, que apesar de sua situação periclitante e dos conselhos de seu capitão, conseguiu salvar a vida do chefe de segurança da Discovery e seu amante, o tenente Ash Tyler (Shazad Latif) que se revelou um traidor klingon, mesmo quando teve a chance de executá-lo. Seguindo assim os protocolos da federação de não executar ninguém, mesmo estando longe da mesma e de a situação ser totalmente favorável a essa ação.

Outra coisa que notei e nem sei se foi proposital, porém, em minha opinião caiu muito bem, foi a desenvoltura em contraste com sua timidez anterior da personagem da cadete Sylvia Tilly (Mary Wiseman), que precisou ocupar a cadeira de capitã da Discovery numa tentativa de enganar outras naves daquele universo. Mesmo quando não está encenando o engodo, e apenas  conversando com seu superior, o primeiro-oficial Saru (Doug Jones), percebe-se que se mantém numa posição de quase comando sobre ele. A propensão inconsciente à liderança que provavelmente deu à sua contraparte a posição de capitã no Universo-Espelho.

As “reviravoltas” como coloquei no título, se referem não só à traição de Tyler, que já era esperada, porém agora temos certeza de sua origem, mas principalmente à revelação da identidade do misterioso imperador no final do episódio. Mas esse spoiler eu não vou dar. Desnecessário para essa crítica. O amigo leitor que ainda não assistiu, terá que fazê-lo. Minha classificação para a série como um todo permanece:

Links para as críticas dos episódios anteriores:

Episódio duplo de estréia

Episódio 03

Episódio 04

Episódio 05

Episódio 06

Episódio 07

Episódio 08

Episódio 09

Episódio 10

 

Veja também:

VINGADORES: GUERRA INFINITA | Brinquedo da Lego pode ter entregado aguardado crossover com a Netflix

LEAGUE OF LEGENDS | Yasuo e outros campeões protagonizam vídeo inédito

DIA DO COMPOSITOR | Os 10 maiores compositores de videogames

 

Jorge Obelix. Ancião do grupo, com milhares de anos de idade. Fã da DC Comics e maior conhecedor de Crise nas Infinitas Terras e Era de Prata do Universo. Grande fã de Nicholas Cage que acha que um filme sem ele nem pode ser considerado filme. Fã de Jeff Goldblum também, e seu maior sonho é ver ambos (Cage e Goldblum) contracenando.

Comments

Receba as novidades do Nerdtrip em seu e-mail!

Insira seu endereço de e-mail para embarcar nessa Viagem Nerd!

Mais lidos da semana


%d blogueiros gostam disto: